Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Proteção Civil regista quase 500 ocorrências e alerta para "cheias relâmpago". Veja os estragos causados pelo mau tempo

Proteção Civil pede à população para que se mantenha longe da costa portuguesa.
Correio da Manhã 20 de Fevereiro de 2021 às 12:33
Queda de árvore em Cascais
Sintra com estradas inundadas
Sintra com estradas inundadas
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Queda de árvore em Cascais
Queda de árvore em Cascais
Sintra com estradas inundadas
Sintra com estradas inundadas
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Queda de árvore em Cascais
Queda de árvore em Cascais
Sintra com estradas inundadas
Sintra com estradas inundadas
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Proteção Civil regista 166 ocorrências e alerta para 'cheias relâmpago'
Queda de árvore em Cascais
Portugal contabilizou este sábado 478 ocorrências devido ao mau tempo, sendo os distritos de Lisboa (212), Leiria (55) e Setúbal (46) os mais penalizados, disse à Lusa o comandante da Associação Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Num balanço com dados até às 16:00, Pedro Araújo acrescentou, relativamente à tipologia das ocorrências, "haver 109 associadas a quedas de árvores, 232 associadas a inundações e 94 a quedas de estruturas, sendo o resto distribuído entre limpezas de via, movimentos de massa, deslizamento de terra e afins".


Trata-se sobretudo de quedas de árvores e de ramos e de estruturas de edifícios, como antenas, chaminés e placas, causada pelo vento forte que se regista.

"Prevê-se que possa haver a ocorrência de cheias relâmpago, muito rápidas, em zonas urbanas que façam inundações rápido e em que as pessoas não tenham hipótese de se movimentar e fugir delas", disse aos jornalistas o responsável, na sede da ANEPC, em Carnaxide (Oeiras), distrito de Lisboa.

Sérgio Trindade acrescentou ainda que situações de cheias poderão também ocorrer em zonas historicamente afetadas pelo fenómeno, como Águeda (distrito de Aveiro), o rio Vez (Viana do Castelo), e nas bacias hidrográficas dos rios Minho, Lima (Viana do Castelo) ou Sorraia (Santarém).

A mesma fonte referiu que estas ocorrências se têm registado um pouco por todo o país, com mais incidência nos distritos de Aveiro, Coimbra, Guarda e Viana do Castelo.

O responsável da Proteção Civil garantiu "não haver registo de feridos associados às condições meteorológicas".

O Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) pôs sob aviso laranja 13 dos 18 distritos de Portugal Continental, incluindo toda a costa do país, e a amarelo cinco distritos do interior devido ao mau tempo.

De acordo com o site do instituto, os distritos do litoral, incluindo todo o Algarve, estão sob aviso laranja, que se deve sobretudo à precipitação, embora nos distritos mais a norte, Porto, Braga e Viana do Castelo, se devam também ao vento e à agitação marítima.

Já os distritos de Évora, Portalegre, Castelo Branco, Guarda e Bragança estão sob aviso amarelo, assim como as ilhas dos arquipélagos da Madeira e dos Açores.

A situação de alerta amarelo em todo o país vai manter-se depois até às 13:00 de domingo.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O IPMA prevê para hoje chuva, vento e agitação marítima forte: Chuva, por vezes forte, no litoral Norte e Centro, estendendo-se ao restante litoral oeste a partir do final da manhã, e gradualmente às restantes regiões; vento moderado a forte (30 a 50 km/h) do quadrante sul, por vezes com rajadas até 90 km/h, podendo atingir os 100 km/h no litoral Norte, e forte (40 a 55 km/h) nas terras altas, com rajadas até 110 km/h.

Proteção Civil IPMA Norte meteorologia questões sociais
Ver comentários