Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Médico absolvido em morte gera revolta

Pais de Rafaela, que morreu após operação, não se conformam.
Aureliana Gomes 4 de Maio de 2018 às 08:37
Rafaela tinha 4 anos
Família não aceita decisão do Tribunal de Penafiel
Tribunal de Penafiel
Rafaela tinha 4 anos
Família não aceita decisão do Tribunal de Penafiel
Tribunal de Penafiel
Rafaela tinha 4 anos
Família não aceita decisão do Tribunal de Penafiel
Tribunal de Penafiel
"Se me disserem que vou receber dinheiro e que ele não é condenado, não quero, porque tem de ser feita justiça pela Rafaela". A revolta é de Fernanda Nunes, após saber que o médico anestesista José Macieira, que estava acusado de negligência no caso da morte da sua filha, de quatro anos, em novembro de 2013, foi absolvido.

A menina morreu após uma cirurgia à garganta e ao nariz, no Hospital Padre Américo, em Penafiel. Ainda existe um processo cível que será discutido.

O Tribunal de Penafiel considerou que não foi provado que tivessem sido administradas doses excessivas de soro após a cirurgia, como alegava a acusação. Considerou ainda que não ficou comprovado que uma avaliação presencial da menina fosse alterar o desfecho.

Na sentença, a juíza lamentou o "comportamento eticamente reprovável" do médico que determinou o internamento por telefone, depois de informado de que a menina estava com vómitos. "Senti uma revolta tão grande. A minha filha não é nenhum animal", recordou a mãe.

A família discorda da decisão e vai recorrer. "Com a prova pericial e testemunhal que existia tudo indicava que resultasse em condenação. Vamos recorrer", explicou Rui Reis, advogado da família de Rafaela Ferreira, que sofreu uma hiponatremia, condição em que o sódio no sangue está anormalmente baixo, provocando convulsões.
Hospital Padre Américo Penafiel Fernanda Nunes médico advogado Rafaela Ferreira
Ver comentários