Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Médicos: Bastonário considera vagas para medicina "excessivas"

O bastonário da Ordem dos Médicos, Pedro Nunes, considerou as vagas no Ensino Superior para o curso de Medicina “aparentemente excessivas”, exigindo ao Governo a garantia de internato dos recém-formados.
12 de Julho de 2010 às 13:05
Bastonário alerta para o excesso de médicos dentro de 10 anos
Bastonário alerta para o excesso de médicos dentro de 10 anos FOTO: Manuel Moreira

As 1600 vagas “aparentemente são excessivas em relação à capacidade que o País tem de absorver esses médicos quando eles vierem a especializar-se”, revelou Pedro Nunes, citado pela agência Lusa. 

 

Das 1661 vagas disponíveis para o próximo ano lectivo, 1516 serão atribuídas por concurso nacional, dez para quem concorre através de escolas superiores militares e 135 através de concurso para licenciados.

 

"Se o Governo acha que tem capacidade para abrir  1600 vagas na faculdade, deve simultaneamente garantir que abre 1600 vagas nos internatos quando forem necessários daqui por cinco anos", revelou o bastonário.

 

Actualmente há 30 mil médicos, mas com o aumento do número de vagas e o regresso dos estudantes de medicina no estrangeiro, é possível que dentro de 10 anos haja excesso de profissionais de saúde.

 

"Se continuarmos todos os anos a abrir 1600 vagas, é previsível que haja desemprego médico porque não é previsível que o País tenha capacidade  económica de os colocar, mas claro que fazem falta: é ilimitada a capacidade  que pode haver de trabalho médico", informou.

 

O curso de medicina é completo ao fim de seis anos e após internato médico na área de especialidade, mas "se os hospitais estiverem em contenção financeira, não têm capacidade  para pagar os ordenados" durante o período de internato.     

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)