Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Ministério não consegue "acalmar" os professores

O secretário-geral da Federação Nacional dos Sindicatos dos Professores (Fenprof), Mário Nogueira, afirmou hoje que as propostas apresentadas pelo Ministério da Educação não são suficientes para “acalmar” as formas de luta que os professores têm vindo a desenvolver.
23 de Dezembro de 2008 às 18:21
Mário Nogueira
Mário Nogueira FOTO: d.r.

 “O que é extraordinário é o Ministério da Educação tentar conjugar isto para tranquilizar professores. Nós estamos a falar de alhos e o Ministério apresenta-nos um saco de bugalhos”, disse o dirigente da Fenprof após o fim da reunião com o Secretário de Estado Adjunto da Educação, Jorge Pedreira.

 

Por outro lado, Jorge Pedreira fez questão de dizer aos jornalistas presentes que a Fenprof “mostra que não está minimamente disposta a aceitar as condições do Ministério da Educação, pois pretende criar um clima de intranquilidade que não ajuda, em nada, os problemas actuais da educação”, afirmando que esta atitude da Federação Nacional dos Sindicatos dos Professores “em nada tem a ver com a dos restantes candidatos”.

O Ministério da Educação propôs esta terça-feira, numa primeira mesa negocial com a Federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FNE),e depois com os restantes sindicatos, que a avaliação deixe de contar para a colocação de professores nos estabelecimentos de ensino, bem como a flexibilização da mobilidade dos professores titulares.

                 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)