Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Morte de menina leva médicos a julgamento

Um médico do Hospital Pediátrico de Coimbra (HPC) acusado de homicídio por negligência afirmou ontem, no Tribunal de Penacova, que quando observou uma criança de 10 anos que faleceu de apendicite aguda ela não apresentava sinais que permitissem concluir por esse quadro.
23 de Setembro de 2011 às 01:00
Rodrigo Santiago (segundo à direita) é um dos advogados do caso
Rodrigo Santiago (segundo à direita) é um dos advogados do caso FOTO: Ricardo Almeida

O clínico disse que a menina caminhava pelo próprio pé e quando lhe pediu para saltar sobre os calcanhares – o que desencadeia os sinais – Ana Rita fê-lo sem dificuldade. Foi observada por outro médico, também arguido, teve alta e faleceu 24 horas depois, a 17 de Março de 2004. Residente em Sevilha, Tábua, o estado da menina agravou-se e os pais levaram-na a um médico em Arganil que a encaminhou para o HPC. A criança morreu no caminho.

MÉDICOS JULGAMENTO MORTE COIMBRA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)