Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Música ao vivo contorna a crise

O domingo solarengo e a música ao vivo levaram a que ontem milhares de pessoas escolhessem as festas do Senhor de Matosinhos, que começaram na sexta-feira e duram até 3 de Junho, para passarem a tarde. Bailaricos improvisados, músicas entoadas a uma só voz e até gritos pelas preferências futebolísticas animaram várias famílias, proporcionando momentos de diversão a quem não quer abrir os cordões à bolsa.

14 de Maio de 2012 às 01:00
O bom tempo levou várias famílias até à festa do Senhor de Matosinhos
O bom tempo levou várias famílias até à festa do Senhor de Matosinhos FOTO: Eduardo Martins

"Venho desde criança e agora trago a minha filha. A música ao vivo é um atractivo, porque divertimo-nos sem gastar dinheiro. Nesta altura de crise temos mesmo de poupar", contou ao CM Lurdes Guimarães, enquanto cantava animada com a filha, de 9 anos.

Entre os comerciantes não há quem não se queixe do fraco negócio, devido às dificuldades financeiras. Os vendedores de gelados e bebidas iam ontem agradecendo ao São Pedro, pelas altas temperaturas que convidavam as pessoas a tomar algo mais fresco. Os divertimentos para crianças tinham também sempre longas filas.

"Os pais querem ver os filhos felizes e arranjam sempre algum dinheiro. Mesmo assim, isto está mau, em vez de darem três ou quatro voltas no carrossel, a maioria das crianças dá só uma", explicou João Martins, dono de um carrossel.

No dia 27 a festa tem o ponto alto, com a procissão que todos os anos conta com fiéis vindos de todo o País.

"PERNAS JÁ NÃO O DEIXAM VIR"

José Manuel Costa e o filho estrearam-se ontem como vendedores de gelados em Matosinhos. ‘Zé Manel’, como é conhecido, ficou com o lugar de um amigo que durante décadas participou nas festividades. "As pernas já não o deixam vir. Vendeu na festa desde muito novo e aguentou até aos 74 anos. Agora é a minha vez", disse ‘Zé Manel’, muito entusiasmado.

MATOSINHOS FESTA CRISE MÚSICA
Ver comentários