Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Não católicos já são três milhões

Já não chegam a 70 por cento os portugueses que confessam professar a religião católica e ficam pelos 18 por cento os praticantes, ou seja, os que vão regularmente à missa ao domingo. Assim, os não católicos já são mais de três milhões e os católicos praticantes 1,8 milhões.
16 de Abril de 2012 às 01:00
São cada vez menos os fiéis que frequentam as igrejas portuguesas
São cada vez menos os fiéis que frequentam as igrejas portuguesas FOTO: Pedro Catarino

Os dados constam de um inquérito realizado pela Universidade Católica na primeira quinzena de Novembro do ano passado e que vai ser apresentado na quarta-feira, no terceiro dia da Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), que hoje começa em Fátima.

Este inquérito foi pedido pela Conferência Episcopal, que pretende um "instrumento credível de trabalho", de que constem, entre outros aspectos, a posição e pertença religiosa das pessoas, as práticas orantes individuais ou em família e o grau de satisfação face à acção da Igreja.

Os resultados do referido inquérito não são, ao que o CM apurou, os mais animadores para a Igreja, mas os bispos já fizeram saber que não pretendem "esconder a realidade". Aliás, quando o estudo foi encomendado, o então presidente da CEP, D. Jorge Ortiga, disse: "Optamos pela realização de um estudo em vez do tradicional recenseamento da prática dominical porque precisamos de um instrumento de trabalho mais completo." Nesta reunião da CEP será ainda analisada a situação económica e social.

CELEBRAÇÕES DE BENTO XVI

Hoje, dia em que os bispos portugueses se reúnem em Fátima, o Papa completa 85 anos, e, na próxima quinta-feira, quando termina a Assembleia Plenária, Bento XVI celebra sete anos de pontificado. Ontem, na oração do ‘Regina Coeli’, o Papa pediu aos fiéis orações de "força" para a sua missão. Eleito Papa a 19 de Abril de 2005, Joseph Ratzinger tem contado com um papado difícil, muito por força de dois escândalos: o dos clérigos pedófilos, que rebentou poucos meses após a sua eleição, e o das suspeitas de corrupção, favores e clientelas, denunciado pelo arcebispo Carlo Viganò, afastado há seis meses do Governatorato do Estado do Vaticano. Perante isto, Bento XVI não terá muitos motivos para festejar.

IGREJA CATÓLICA RELIGIÃO FIÉIS BENTO XVI MISSAS
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)