Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Nogueira lança repto a Alçada

Mário Nogueira lançou um repto a Isabel Alçada, que toma posse amanhã como ministra da Educação, para que o seu primeiro acto seja a suspensão do modelo de avaliação de desempenho dos professores ou o alargamento do prazo para as escolas afixarem os calendários do próximo ciclo avaliativo.
25 de Outubro de 2009 às 00:30
Mário Nogueira propõe a Isabel Alçada “um grande passo no sentido de ganhar a confiança dos professores”
Mário Nogueira propõe a Isabel Alçada “um grande passo no sentido de ganhar a confiança dos professores” FOTO: Jorge Paula

“As escolas estão obrigadas a calendarizar até final do mês os procedimentos da avaliação para o próximo ciclo. Sabemos que a Oposição junta vai suspender o modelo, basta fazer contas ao número de deputados, mas não terá tempo para o fazer antes do fim do mês. As escolas vão fazer trabalho que de nada servirá”, começou por dizer o secretário-geral da Fenprof, acrescentando: “Isto resolvia-se com uma nova ministra que, consciente de que as escolas vão desenvolver procedimentos para depois atirarem fora, tomasse um primeiro acto de coragem política e suspendesse a avaliação ou, pelo menos, alargasse o prazo de calendarização até final do 1º período.”

Para Nogueira, este seria “um grande passo no sentido de ganhar a confiança dos professores”. E deixa o aviso: “Se disser que tudo se mantém, os professores voltam à rua.”

PORMENORES

ESCOLAS À ESPERA

Mário Nogueira afirma que "a esmagadora maioria das escolas" não fixou calendários porque está à espera da suspensão do modelo de avaliação.

ESTATUTO EM CAUSA

A suspensão do modelo de avaliação e substituição por outro obrigará a rever o Estatuto da Carreira Docente, defende Nogueira: "O modelo de avaliação não é uma coisa solta, está relacionado com a estrutura da carreira, com a progressão e com a formação."

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)