Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Número de sobreviventes de cancro vai aumentar

O número de sobreviventes de cancro maiores de 65 anos aumentará 42 por cento na próxima década, segundo um estudo da Associação Americana para a Investigação do Cancro.
7 de Outubro de 2011 às 08:29
Instituto Oncológico de Lisboa
Instituto Oncológico de Lisboa FOTO: Natália Ferraz

"Esperamos um aumento dramático no número de seniores sobreviventes que foram diagnosticados ou que têm um historial de cancro", disse Júlia Rowland, do Instituto Nacional Contra o Cancro (NCI, na sigla inglesa), e uma das autoras do estudo publicado em outubro na revista da Associação Americana para a Investigação do Cancro.

A responsável considerou que o facto da população com mais de 65 anos ser actualmente mais saudável do que nas gerações anteriores, assim como o desenvolvimento das novas tecnologias ajudam a uma melhor comunicação e acompanhamento da doença.

Em 1971 a população sobrevivente do cancro rondava os 3 milhões de pessoas, número que passou para 11,9 milhões em 2008, dos quais 80 por cento teria pelo menos 65 anos, de acordo com o estudo.

O NCI prevê que os sobreviventes da doença aumentem 42 por cento durante a próxima década e que, em 2020, 63 por cento tenha 65 anos ou mais.

Os diagnósticos mais comuns entre os sobreviventes são os do cancro da mama que afecta as mulheres (22 por cento), os da próstata (20 por cento) que afecta os homens, e os do coloretal (9 por cento). Os investigadores atribuem os altos níveis de sobrevivência a uma melhor deteção e rastreio.

O cancro do pulmão, que é de longe o mais diagnosticado entre homens e mulheres, é dos que apresenta menor taxa de sobreviventes (três por cento).

 

Cancro Sobreviventes América Estudo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)