Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Obama apela a acção "rápida e agressiva"

O presidente norte-americano, Barack Obama, sublinhou este sábado a necessidade de agir “rápida e agressivamente” contra a ameaça de pandemia do vírus H1N1, anunciando que pediu 1,5 mil milhões de dólares (1,13 mil milhões de euros) ao Congresso para a compra de medicamento e equipamentos.
2 de Maio de 2009 às 13:25
Obama apela a acção 'rápida e agressiva'
Obama apela a acção 'rápida e agressiva' FOTO: D.R.

Na habitual mensagem semanal difundida pela rádio e pela Internet, Obama referiu que a doença pode tonar-se muito pior, pelo que decidiu aumentar os recursos na campanha contra a gripe.

“Esta é uma nova estirpe do vírus da gripe e, uma vez que ainda não desenvolvemos imunidade contra ela, tem mais potencial para nos afectar”, disse o presidente norte-americano, sublinhando que “é uma gripe que está a transmitir-se entre seres humanos” o que “cria a possibilidade de uma pandemia”.

“É por isso que devemos agir rápida e agressivamente”, sustentou Barack Obama, frisando: “Prefiro agir agora do que hesitar e enfrentar consequências mais graves no futuro”.

O presidente norte-americano lembrou que a doença pode ser tratada com “um tratamento antiviral” que já está disponível, precisando que um quarto dos 50 milhões de medicamentos disponíveis no país já foi distribuído pelos vários Estados.

A administração Obama já pediu às escolas onde foram registados casos que fechem as portas durante duas semanas e às empresas que deixem os trabalhadores doentes estarem de baixa o tempo necessário.

As autoridades competentes têm feito vários apelos para que os cidadãos para que lavem as mãos várias vezes ao dia, tampem a boca com a mão quando tossirem e fiquem em casa se adoecerem.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)