Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Oftalmologista de Coimbra sugere contaminação do Avastin

António Travassos, oftalmologista no Centro Cirúrgico de Coimbra afirmou esta segunda-feira, nas Varas Criminais de Lisboa, no julgamento das seis pessoas que ficaram cegas no Hospital de Santa Maria, em 2009, que o medicamento ministrado aos doentes não pode ter sido Avastin (bevacizumab).
16 de Abril de 2012 às 15:07
A próxima audiência do caso da cegueira no Hospital Santa Maria está marcada para dia 7 de Maio, às 14h00, nas Varas Criminais de Lisboa
A próxima audiência do caso da cegueira no Hospital Santa Maria está marcada para dia 7 de Maio, às 14h00, nas Varas Criminais de Lisboa FOTO: Pedro Catarino

“Estou convencido de que a droga que foi injectada não foi Avastin. Pode ter havido contaminação do fármaco na farmácia, mas só o Avastin não provocaria estas consequências, ainda para mais nos seis doentes em simultâneo”, afirmou.

O oftalmologista admitiu ainda que a utilização do Avastin na oftalmologia não é consensual. O Avastin, recorde-se é um medicamento de usos oncológico

Esta manhã foi ainda ouvida Maria Helena Conceição, oftalmologista no Hospital de Santa Maria.

A próxima audiência está marcada para dia 7 de Maio, às 14h00, nas Varas Criminais de Lisboa.

avastin cegueira santa maria hospital oftalmologia oftalmologista
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)