Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

“Ordem deve ser mais activa”

O candidato a bastonário da Ordem dos Enfermeiros (OE) Sérgio Gomes acusa o actual organismo de "regulação ineficiente". Situação que, diz, tem conduzido os enfermeiros a um caso de asfixia profissional, social e económica.
25 de Outubro de 2011 às 01:00
Sérgio Gomes (de pé, ao centro) apresentou a candidatura no Hospital de São José, em Lisboa
Sérgio Gomes (de pé, ao centro) apresentou a candidatura no Hospital de São José, em Lisboa FOTO: JOÃO MIGUEL RODRIGUES

"A OE não pode continuar sem dinamismo, a perder qualidades e oportunidades de fazer mais e melhor", critica. Sob o mote "vale a pena ser enfermeiro", o actual coordenador da Linha Saúde 24 compromete-se a criar um Gabinete do Cidadão, a Linha do Enfermeiro, disponível 24 horas, e o programa Gerir+, para apoiar os enfermeiros gestores na gestão e administração dos serviços. Atenção especial terão os desempregados, com a organização de programas de formação específica.

Sobre a dispensa de profissionais, Sérgio Gomes vai avaliar se o acesso aos cuidados de saúde está em risco. "Há uma grande variabilidade nos cuidados de enfermagem, o que se pretende é reduzi-la", disse ao CM o candidato, que defende uma OE "mais activa". As eleições para a Ordem dos Enfermeiros realizam-se a 12 de Dezembro. Para além de Sérgio Gomes, há três candidatos: Germano Couto, Ana Rita Cavaco e Manuel Oliveira.

PERFIL

Sérgio David Lourenço Gomes nasceu a 4 de Outubro de 1957 em Salir de Matos, Caldas da Rainha. É coordenador da Linha de Saúde 24, mas foi na Urgência do São José que começou a trabalhar, em 1980. Foi também enfermeiro supervisor no Curry Cabral. É especialista de Enfermagem Médico-Cirúrgica e mestre em Ciências de Enfermagem.

ENFERMEIROS ORDEM SÉRGIO GOMES
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)