Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Pais fecham escola por falta de funcionários

Encarregados de educação protestam na escola EB 2/3 de Pedrouços, na Maia.
18 de Novembro de 2016 às 09:43
Alunos em protesto em frente à escola EB 2/3 de Pedrouços, na Maia
Alunos em protesto em frente à escola EB 2/3 de Pedrouços, na Maia FOTO: CMTV
Pais e alunos da escola EB 2,3 de Pedrouços, na Maia, concentraram-se esta sexta-feira em frente ao estabelecimento de ensino em protesto contra a falta de funcionários da escola que hoje não abriu por comparecerem ao serviço apenas cinco funcionários.

"Queremos obrigar o organismo responsável, neste caso a Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), a tomar uma atitude ou a fechar a escola. Não podemos abrir quando tempos uma escola suja, uma escola sem vigilância e com serviços constantemente fechados. O que acontece diariamente é decidir quais os serviços que funcionam para deslocar para lá os funcionários, encerrando-se outros", disse à Lusa a presidente da Associação de Pais, Sandra Monteiro.

De acordo com Sandra Monteiro, "este último mês tem sido caótico, e esta semana mais um funcionário ficou doente, e teve que ser hospitalizado. É frequente vermos elementos da direção na portaria, a abrir portas de pavilhões e outros serviços".

A responsável insistiu que é necessário que a DGEstE abra "um canal de diálogo", porque "a pouquíssima informação que dá é que existem 42 funcionários e que estão a analisar o assunto".

"Mas nós não sabemos quem são esses 42 que a DGEstE aponta", frisou Sandra Monteiro, referindo que "a escola deveria ter cerca de 30 funcionários, mas não chegam aos 25. A informação oficial é que estão hoje cinco funcionários e que a escola vai ter que fechar".

Questionada sobre se o motivo da falta de funcionários no dia de hoje estaria relacionada com a greve na Administração Pública, Sandra Monteiro afirmou: "Mesmo sem greve, sabíamos que havia funcionários que por motivos de consultas e outros assuntos familiares hoje não poderiam estar".

A EB 2,3 de Pedrouços é frequentada por cerca de 900 alunos, mas o agrupamento escolar tem cerca de dois mil estudantes, segundo disse à Lusa o presidente da Federação Concelhia das Associações de Pais da Maia.

Alberto Santos lamentou que a DGEstE continue a dizer que "o famigerado rácio é cumprido", sugerindo que nessas contas "excluam os atestados, as baixas prolongadas, as rescisões e o funcionário que foi para a reforma, sem ser substituído".

"Se é preciso mudar a lei, que mudem a lei, a escola é que não pode continuar a funcionar assim", acrescentou

Segundo explicou "há vários serviços fechados sistematicamente, os alunos vivem uma situação em que não existe vigilância, segurança e higiene. Há salas por limpar e casas de banho encerradas pelo mesmo motivo".



Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)