Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

"País não pode admitir que alunos abandonem estudos por falta de dinheiro"

O Serviço Nacional de Pastoral do Ensino Superior (SNPES) considera inadmissível que alunos com capacidades intelectuais deixem de estudar apenas por questões financeiras, disse hoje à Lusa o seu coordenador, criticando os critérios na atribuição de bolsas.
4 de Fevereiro de 2012 às 14:37
Serviço Nacional de Pastoral do Ensino Superior, abandono escolar
Serviço Nacional de Pastoral do Ensino Superior, abandono escolar FOTO: Diogo Pinto

"O estado vai poupar a nível do orçamento. Mas é esse o país que nós queremos? (...) Isso é inadmissível num país que se preze", acusou Jorge Bernardino, lembrando que este ano "houve um corte brutal que corresponde a menos 40 mil bolsas de estudo no ensino superior".

Esta é uma das denúncias que o Conselho Nacional da SNPES, que hoje reúne em Fátima, irá transmitir ao secretário de Estado do Ensino Superior.

"É uma tremenda injustiça (...) que um aluno cujo pai tem dívidas à segurança Social não possa beneficiar de uma bolsa, quando muitas vezes não existe essa relação parental", ilustrou Jorge Bernardino.

A excessiva burocracia, a redução no desconto dos passes sociais ao nível dos transportes públicos que afecta os estudantes e o fecho das cantinas ao fim de semana são outras das preocupações que o CNES irá remeter ao Governo.

Criado sob tutela da Conferência Episcopal Portuguesa, no âmbito da sua Comissão Episcopal do Laicado e Família, o CNES pretende coordenar e apoiar os serviços de Pastoral Universitária e de Ensino Superior que funcionam nas diferentes dioceses do país e que contam também com a colaboração de diversos organismos e grupos eclesiais.

Serviço Nacional de Pastoral do Ensino Superior abandono escolar
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)