Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Paralisação ameaça ano lectivo

A greve às avaliações no ensino politécnico tem registado, pela terceira semana consecutiva, uma forte adesão dos professores, nomeadamente nos institutos de Lisboa, Porto e Coimbra. No Instituto Politécnico do Porto houve uma adesão que correspondeu quase à totalidade dos docentes e que obrigou a que dos 168 exames previstos só se realizassem 26.
24 de Julho de 2009 às 00:30
Professores do Ensino Superior Politécnico têm vindo a protestar nas últimas três semanas
Professores do Ensino Superior Politécnico têm vindo a protestar nas últimas três semanas FOTO: André Kosters/Lusa

Para que os alunos não sejam "irremediavelmente prejudicados", o presidente do Sindicato Nacional do Ensino Superior garante que todos os exames que não se realizaram serão repetidos, o que dependerá de cada instituição.

"Dependerá das instituições escolares criar um calendário de modo a garantir a realização dos exames", diz Gonçalo Xufre, situação que "em algumas instituições levará ao adiamento do início do ano lectivo."

O Conselho Pedagógico do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) já decidiu inclusive alterar o seu calendário escolar para a repetição dos exames na primeira semana de Setembro. Aguarda agora apenas pela aprovação do conselho directivo da instituição de ensino.

APONTAMENTOS

CARREIRA

Professores defendem que o regime de transição do Estatuto da Carreiraé "discriminatório" e irá reduzir a qualidade do ensino.

BEJA

O Instituto Politécnico de Beja prepara-se para dispensar cerca de 23 docentes por não lhes conseguir atribuir um horário completo.

31 DE JULHO

A greve às avaliações no ensinopolitécnico, que jádura há três semanas consecutivas, irá manter-se atéao dia 31 de Julho.

Ver comentários