Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Pernoita em Lisboa durante a Web Summit pode custar mais de 500 euros

Preço médio da dormida ronda os 305 euros na semana da conferência internacional. Hostels são a opção mais barata.
Wilson Ledo 4 de Novembro de 2018 às 01:30
António Costa e Fernando Medina com Paddy  Cosgrave, fundador da Web Summit
Paddy Cosgrave
Paddy Cosgrave, fundador da Web Summit
Antes da abertura de portas do Altice Arena foram muitos os que fizeram fila para entrar na conferência. O evento só arrancou às 18h00
António Costa e Fernando Medina com Paddy  Cosgrave, fundador da Web Summit
Paddy Cosgrave
Paddy Cosgrave, fundador da Web Summit
Antes da abertura de portas do Altice Arena foram muitos os que fizeram fila para entrar na conferência. O evento só arrancou às 18h00
António Costa e Fernando Medina com Paddy  Cosgrave, fundador da Web Summit
Paddy Cosgrave
Paddy Cosgrave, fundador da Web Summit
Antes da abertura de portas do Altice Arena foram muitos os que fizeram fila para entrar na conferência. O evento só arrancou às 18h00

Quem deixou para a última hora a reserva de hotel durante a semana da Web Summit pode ter de desembolsar mais de 500 euros por uma noite na capital portuguesa.

Na manhã deste sábado, estavam disponíveis na plataforma de reservas Booking apenas 40 unidades hoteleiras. "As suas datas são populares", alertava o site. A maioria das ofertas dizia respeito a quartos de gama superior. Só em dois hotéis era possível reservar uma noite abaixo dos 100 euros, em unidades de uma ou duas estrelas.

O preço médio de cada noite para os 40 hotéis disponíveis é de 304,55 euros, na simulação feita para a noite de terça para quarta-feira. O valor representa mais 131,72 euros do que o valor médio previsto para os mesmos hotéis no mesmo dia da semana seguinte, em que já não se realiza a Web Summit.

Na busca, cinco das ofertas situavam-se acima dos 500 euros. Uma delas no Tivoli Oriente, hotel de quatro estrelas próximo do evento, onde a proposta mais barata é uma suite júnior por 579 euros a noite. O valor mais alto a surgir, 775 euros, cabia a uma suite no Lx Boutique Hotel, junto ao Cais do Sodré.

Quem vier a Lisboa e precisar de poupar terá mesmo de optar pelos hostels, tipologia em que surgem várias propostas a partir dos 20 euros, numa cama em dormitório, partilhado com outros hóspedes.

A Associação da Hotelaria de Portugal prevê que os hotéis lisboetas estejam cheios nos próximos dias e recorda os dados de 2017: uma taxa de ocupação de 92% e um preço médio de 141 euros.

Já a AHRESP, associação que representa também o setor da restauração, estima que os participantes na Web Summit gastem quase 62 milhões de euros nos quatro dias do evento. O gasto médio deverá fixar-se nos 220 euros. Desse valor, 120 são dedicados a alojamento.

Números que virão reforçar o balanço do próprio Governo, que já estimou mais-valias de 300 milhões de euros desde que o evento se mudou de Dublin para Lisboa em 2016.

Reforço de segurança na zona da Expo e na Baixa

Aeroporto Humberto Delgado, Parque das Nações, Baixa de Lisboa, Bairro Alto e Cais do Sodré. Estas são apenas algumas das zonas que vão merecer atenção especial por parte das autoridades no decorrer da Web Summit.

O grande fluxo de visitantes faz com que praticamente todas as valências da PSP estejam em alerta, num período que vai ainda causar grandes constrangimentos na circulação rodoviária. Várias artérias junto ao Parque das Nações vão estar mesmo cortadas ao trânsito.

Também o aeroporto vai merecer atenções redobradas da polícia. A PSP vai apertar o controlo dos visitantes ao Altice Arena e aos pavilhões da FIL, onde vão ser instalados detetores de metais e ainda aparelhos de raio-X. Tudo vai ser passado a pente fino.

Fora das horas do evento, é também de esperar que muitas pessoas se desloquem para zonas de diversão noturna, onde a polícia vai optar por um policiamento de visibilidade, de modo a transmitir um sentimento de segurança aos visitantes.

Estrelas mundiais marcam presença
O ex-futebolista brasileiro Ronaldinho Gaúcho, o antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair e o secretário-geral da ONU, António Guterres são presenças confirmadas nesta edição da conferência de inovação e tecnologia.

Convite a Le Pen gerou polémica
O convite à líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, gerou uma onda de protestos antes de o evento arrancar por serem gastos dinheiros públicos na vinda da política da extrema-direita francesa. A organização retirou o convite.

PORMENORES
Participação recorde
O evento toma conta do Parque das Nações de 5 a 8 de novembro. São esperados mais de 70 mil participantes na terceira edição em Lisboa.

Mais antecipação
Estimando que haja maior movimento na manhã de 6 de novembro, a organização aconselha a tratar do pré-registo nos três dias anteriores.

Apoio à chegada
Quem chega a Lisboa de avião, conta com um posto de pré-registo no terminal 1 do aeroporto. Há outro posto à entrada da Feira Internacional de Lisboa.

Bilhetes esgotaram
Este ano, os bilhetes esgotaram três dias antes do evento. Os ingressos individuais de última hora custavam entre 1500 e 25 mil euros.

Convite a Le Pen gerou polémica
O convite à líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, gerou uma onda de protestos antes de o evento arrancar por serem gastos dinheiros públicos na vinda da política da extrema-direita francesa. A organização retirou o convite.

Greves do Metro trazem problemas nos acessos

Os trabalhadores do Metro de Lisboa marcaram duas greves parciais durante a Web Summit. A primeira paralisação terá lugar na terça-feira, o dia em que se espera maior movimento no Parque das Nações. A segunda paralisação está marcada para quinta-feira, das 06h00 às 09h30.

Organização lucra mais em lisboa
Empresa-mãe, que inclui a organizadora Connected Intelligence, lucrou 2 milhões na 1.ª edição lisboeta, 16 vezes mais do que em Dublin.

Acordo de 10 anos amplia recinto
u Portugal assegurou o evento durante mais 10 anos. Para tal, vai pagar 110 milhões de euros e duplicar a capacidade do recinto, a FIL.
























Ver comentários