Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

"Pílula do dia seguinte da sida" preocupa

Medicamento usado em excesso para sexo sem proteção.
14 de Julho de 2016 às 09:53
Cada vez mais pessoas usam o Truvada como "pílula do dia seguinte da sida"
Cada vez mais pessoas usam o Truvada como 'pílula do dia seguinte da sida' FOTO: Getty Images
Um fármaco receitado para tratar os doentes com sida está a ser usado em Portugal para a prática de sexo sem proteção, como forma de prevenir eventual contágio com a doença. O medicamento antirretroviral Truvada já é utilizado por muitos, que o consideram a "pílula do dia seguinte da sida".

O caso é denunciado por um jornal nacional, depois de dados avançados pelo Infarmed darem conta de um aumento de 11% no consumo de Truvada, entre janeiro e abril deste ano, face ao mesmo período do ano passado.

Os médicos alertam para os riscos do uso excessivo do medicamento, e que o fármaco só terá alguma eficácia em casos de VIH e em mais nenhuma doença sexualmente transmissível. 

O Truvada, que pode ser tomado como profilaxia antes e depois das relações sexuais, está a criar uma falsa ideia de segurança, que está a resultar no aumento do número de infetados pela doença, em especial entre homosexuais, alerta a DGS, que recomenda o uso do preservativo, como forma de prevenção da transmissão do VIH e de outras doenças.

Ainda, a legislação não é clara  nesta matéria, permitindo que o Truvada seja receitado de acordo com a consciência dos médicos, mesmo que muitas vezes os pacientes mintam para que lhe seja facultado o fármaco.

Nos primeiros  quatro meses de 2016, o estado gastou 78 milhões de euros na compra deste antirretroviral.
Portugal Infarmed DGS saúde doenças sida VIH
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)