Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Plano do INEM contestado

O Plano Estratégico para os Recursos Humanos da Emergência Pré-Hospitalar foi aprovado pelo Ministério da Saúde, mas merece críticas da Ordem dos Enfermeiros (OE) e da Associação dos Enfermeiros de Emergência Pré-Hospitalar.
23 de Julho de 2010 às 00:30
Os técnicos de emergência pré-hospitalar vão receber mais formação para o socorro às populações
Os técnicos de emergência pré-hospitalar vão receber mais formação para o socorro às populações FOTO: Nuno Fernandes Veiga

O plano prevê uma maior formação dos técnicos de ambulância de emergência e dos técnicos operadores de telecomunicações de emergência. Porém, a OE defende que os profissionais, em especial os que tripulam as ambulâncias SIV (Suporte Imediato de Vida) "não devem receber orientações dos técnicos de comunicações [que vão substituir os enfermeiros nos CODU] porque não têm competência clínica".

O Ministério reconhece que "a OE discorda de forma global" do plano por considerar que a actividade dos enfermeiros é diminuída. Em causa está a saída dos profissionais dos Centros de Orientação dos Doentes Urgentes (CODU). A OE é ainda contra "a criação de um grupo técnico para actuar na área de emergência", e considera não ser necessária "uma nova carreira de técnicos". José Gomes, da Associação dos Enfermeiros de Emergência Pré--Hospitalar, disse ao CM que a "qualidade dos cuidados poderá diminuir porque os técnicos não têm a formação em saúde que têm os enfermeiros".

OE, sindicatos e associações reúnem-se dia 26.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)