Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Portugueses infectados com E.coli

Um dos três doentes está internado na Madeira.
3 de Junho de 2011 às 00:30
BACTÉRIA, PEPINOS, E.COLI, INFECÇÃO, MORTE
BACTÉRIA, PEPINOS, E.COLI, INFECÇÃO, MORTE FOTO: Francisco Bonilla/Reuters

Há três portugueses suspeitos de terem contraído a estirpe mais perigosa da bactéria Escherichia coli (E.coli), que já matou 18 pessoas na Europa. Os três doentes, que não são da mesma família, regressaram há mais de uma semana da Alemanha e apresentaram sintomas de gastrenterite . O caso mais grave é de um homem, de 40 anos, residente da Madeira, que foi ontem internado com uma septicemia – infecção generalizada –, segundo o Ministério da Saúde, que recusa divulgar mais dados sobre os três primeiros casos em investigação da doença provocada pela E.coli em Portugal.

O director-geral da Saúde, Francisco George, afirmou ao CM que os "dois casos em investigação são de gravidade ligeira. Apenas um dos doentes está internado, mas não está numa Unidade de Cuidados Intensivos". Francisco George afirmou que os dois doentes menos graves "estão em casa e receberam cuidados médicos". Os três casos estavam ontem a evoluir de uma forma benigna.

Aquele responsável sublinhou ainda que "os três casos são suspeitos de terem contraído a bactéria E.coli com a toxina O104, porque apresentam sintomas de gastrenterite, com cólicas abdominais, diarreia com sangue, febre e vómitos, e porque regressaram da Alemanha", país onde começou a epidemia. Graça Freitas, subdirectora-geral da Saúde, sublinhou que "as análises aos casos suspeitos estão a ser feitas no Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge".

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou, entretanto, que este surto é provocado por uma nova estirpe da E.coli, que é "mais agressiva" e da qual apenas há conhecimento de um caso descrito na literatura científica. Trata--se de uma mulher da Coreia, infectada em 2005.

Segundo o director-geral da Saúde, "não se trata de uma mutação da bactéria, mas sim de uma recombinação genética da estirpe, que adquiriu novas características". A Organização Mundial da Saúde confirmou que o caso da mulher na Suécia foi transmitido pessoa a pessoa.

ALEMANHA SUSPEITA DAS ÁGUAS MINERAIS

As autoridades alemãs da saúde alargaram o âmbito das investigações à água mineral sem gás, captada, sobretudo, em fontes e poços, para apurar a origem da epidemia provocada por uma nova estirpe da bactéria E.coli. A Alemanha está a investigar

o caso desde o dia 25 de Abril, mas ainda não conseguiu apurar a origem da contaminação. O director-geral da Saúde, Francisco George, veio entretanto afirmar que "a água mineral não é tratada, e por isso pode ser um foco de contaminação".

PREJUÍZO DE DOIS MILHÕES

Os produtores nacionais de hortícolas já sofreram uma quebra nas vendas de duas mil toneladas de legumes, o que corresponde a dois milhões de euros, mas os prejuízos são "galopantes", e serão "ultrapassados em muito" se a situação se prolongar "mais alguns dias", disseram ontem responsáveis do sector, que aguardam uma resposta da União Europeia ao repto do ministro da Agricultura, António Serrano, que pediu uma "compensação pelos prejuízos que já tiveram e possam vir a ter no futuro".

Segundo Manuel Évora, presidente da Portugal Fresh, que representa 23 empresas, os produtores estão "à beira do desespero", com quebras nas vendas de pepino e de courgette de 80 a 90% e de tomate e alface de 20 a 30%.

"Junho é o mês das romarias e das sardinhadas, em que aumenta em muito o consumo de saladas, o que levou os produtores a programarem as culturas para responder a essa procura e agora não as conseguem escoar", disse Manuel Évora ao CM, garantindo que "os nossos hortícolas são de confiança".

BACTÉRIA PEPINOS E.COLI INFECÇÃO MORTE
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)