Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Presidente da República diz estar "muito esperançoso" na Conferência dos Oceanos da ONU

Marcelo admitiu que reunião será "uma cimeira difícil, uma cimeira dura".
Lusa 26 de Junho de 2022 às 20:52
A carregar o vídeo ...
Presidente da República diz estar "muito esperançoso" na Conferência dos Oceanos da ONU
O Presidente da República afirmou este domingo estar "muito esperançoso" na Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, que arranca na segunda-feira em Lisboa, dizendo que "Lisboa une e não divide".

Num evento da Fundação Oceano Azul de boas-vindas à Conferência dos Oceanos, que decorreu no Oceanário em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa admitiu que a reunião que arranca na segunda-feira em Lisboa será "uma cimeira difícil, uma cimeira dura", mas na qual disse "estar muito esperançoso".

No final, questionado pelos jornalistas sobre a razão dessa esperança, o chefe do Estado realçou que a Declaração de Lisboa que sairá dessa cimeira "está praticamente pronta e foi muito pacífica".

"Até é um contraste: no momento, em que há uma guerra no mundo, há já uma declaração que tem o acordo de todos os Estados. Lisboa une e não divide", salientou.

Questionado se não teme que a guerra na Ucrânia posa ensombrar esta Conferência dos Oceanos, o chefe de Estado respondeu negativamente.

"As pessoas têm noção de que há temas em que tem de haver acordo: oceanos, migrações, refugiados, terrorismo ultrapassam fronteiras e continentes. São temas que exigem de facto um acordo global", defendeu.

Na sua breve intervenção em inglês na iniciativa de boas-vindas, o Presidente da República elogiou o papel dos ativistas climáticos e das fundações, que defendeu representarem "o poder do povo".

"Estou grato a muitos ativistas que estão aqui, amanhã será a vez dos chefes de Estado e de Governo, mas vocês são tão importantes como eles, eu diria até que são mais importantes do que eles. Um líder é-o por um ou dois mandatos e os ativistas são-no por toda a vida", destacou Marcelo Rebelo de Sousa.

Tal como tinha feito na tarde deste domingo, num evento paralelo à cimeira com 150 jovens de todo o mundo, o Presidente da República deixou uma nota de urgência no combate às alterações climáticas e pelos oceanos.

"Estamos a correr contra o relógio, perdemos demasiado tempo, temos de recuperar este tempo, estou esperançoso", afirmou.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou ainda as boas-vindas a todos os que visitarão Portugal no âmbito desta iniciativa da ONU, apelando a que "depois voltem".

A Conferência dos Oceanos das Nações Unidas (UNOC, sigla em inglês) vai realizar-se este ano em Lisboa (no Altice Arena), copresidida por Portugal e pelo Quénia, entre segunda e sexta-feira, e contará com a presença de chefes de Estado e de governo de todos os continentes.

São esperados mais de 7.000 participantes de mais 140 países, 38 agências especializadas e organizações internacionais, mais de mil organizações não-governamentais, 410 empresas e 154 universidades.

Ver comentários