Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Presidente da República diz que conferência foi sinal de paz entre pessoas numa altura de guerra e pandemia

Compromisso da ONU com proteção dos oceanos é uma vitória do multilateralismo face à "tentação do unilateralismo".
Lusa 1 de Julho de 2022 às 18:41
Presidente da República
Presidente da República FOTO: JOSÉ SENA GOULÃO/lusa
O Presidente da República considerou esta sexta-feira que a Conferência dos Oceanos foi "um sinal de paz" com a natureza e entre as pessoas, numa altura em que o mundo continua a braços com a pandemia e a guerra.

"Queríamos [Portugal], juntamente com o Quénia, fazer desta conferência, numa altura de pandemia e de guerra, um sinal de paz. Paz com a natureza e paz entre as pessoas", sustentou Marcelo Rebelo de Sousa, no encerramento da Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, em Lisboa, que começou na segunda-feira e terminou hoje com a assinatura da Declaração de Lisboa.

A assinatura do compromisso dos Estados-membros da ONU com a proteção dos oceanos é, na ótica do Presidente da República, uma vitória do multilateralismo face à "tentação do unilateralismo" que muitas vezes prevalece.

questões sociais política governo (sistema) chefes de estado
Ver comentários
}