Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Professores precários contra igualdade para colegas do privado no acesso ao Estado

Diploma consagra a vinculação ao Estado de cerca de 3.200 docentes.
1 de Março de 2017 às 14:31
FOTO: Getty
Os professores contratados consideraram inaceitável que os docentes do ensino privado fiquem em pé de igualdade com os do setor público quando se trata de concursos e vinculação ao Estado.

"Segundo informações dadas pelo Ministério de Educação, o concurso externo de professores a acontecer ainda durante este ano, colocará os professores provenientes dos colégios do ensino particular e cooperativo, com contratos de associação, em pé de igualdade com os professores contratados há inúmeros anos em escolas do Ministério de Educação", afirma em comunicado o Movimento -- Professores Precários.

Para o movimento, que afirma representar milhares de docentes, professores que estão "há inúmeros anos no privado" podem ultrapassar professores precários "há dezenas de anos a servir o Ministério de Educação", e sujeitos à instabilidade de todos os anos mudarem de escola e de cidade para acumularem tempo de serviço na escola pública.

Estes professores consideram a situação injusta, afirmando ser "inacreditável" que um governo que pretende acabar com a precariedade permita que professores que não tiveram qualquer vínculo ao Estado nos últimos anos possam "automaticamente vincular".

A posição surge após a promulgação pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do diploma sobre a vinculação extraordinária de professores que o Ministério da Educação negociou com os sindicatos no início do ano, mas que não foi objeto de acordo.

O diploma consagra a vinculação ao Estado de cerca de 3.200 docentes.

O Presidente ressalvou que ao assinar a promulgação atendeu "ao equilíbrio atingido" numa "matéria sensível".
Ver comentários