Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Protesto de alunos cala Sócrates e Gago

"Não há cerimónias porque nos últimos 15 anos as propinas aumentaram 400 por cento", alegou um grupo de estudantes universitários, ontem, na recepção ao primeiro-ministro no Instituto Superior de Engenharia do Porto.
15 de Setembro de 2010 às 00:30
Cerca de vinte universitários subiram ao palco com um cartaz sobre as propinas quando Sócrates e Gago entraram na sala
Cerca de vinte universitários subiram ao palco com um cartaz sobre as propinas quando Sócrates e Gago entraram na sala FOTO: Estela Silva/Lusa

A cerimónia, que contava também com a presença do ministro do Ensino Superior, Mariano Gago, foi mesmo interrompida quando os cerca de vinte alunos, da Academia do Porto, subiram ao palco com um cartaz de protesto contra o valor das propinas e o financiamento do Ensino Superior.

Sócrates e Gago ficaram sem palavras perante a inesperada manifestação que passou pela leitura de um comunicado e por algumas vaias. "Não há cerimónias enquanto a maioria dos 70 mil bolseiros receber de bolsa mínima apenas 100 euros por mês", foi um dos doze pontos reclamados perante os governantes. Os alunos que protagonizaram o protesto acabaram por ser retirados do palco, mas um cartaz ficou à vista na sala. "Gago, quanto pagaste de propinas?", lia--se. "Estamos aqui também em nome de alunos que deixam o Ensino Superior porque não podem pagar as propinas", disse ao CM Nuno Moniz, aluno que liderou a acção.

José Sócrates sorriu, ignorou o protesto e fez o discurso oficial. Foi Mariano Gago a reagir aos contestatários. "Os apoios estão reservados para os que são verdadeiramente carenciados. Somos um País democrático, cada um pode exprimir a sua opinião", disse. 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)