Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

PSD quer reunião "urgente" com administração do hospital de Portalegre

A candidatura do PSD por Portalegre às eleições legislativas anunciou este sábado que vai solicitar uma reunião com "carácter de urgência" à administração do hospital da cidade para apurar a situação vivida nas urgências da unidade hospitalar.
14 de Maio de 2011 às 12:38
PSD pretende reunir com o Concelho Distrital de Portalegre da Ordem dos Médicos
PSD pretende reunir com o Concelho Distrital de Portalegre da Ordem dos Médicos FOTO: DR

O PSD pretende ainda reunir com o Concelho Distrital de Portalegre da Ordem dos Médicos, que denunciou sexta-feira a situação.

"Há um completo desfasamento daquilo que é a realidade do distrito e  as necessidades das populações. Sem por em causa aquilo que é feito, chegámos a uma situação inadmissível nas urgências", disse o cabeça-de-lista do PPD/PSD, Cristóvão Crespo, em declarações à agência Lusa.

A Ordem dos Médicos emitiu na sexta-feira um comunicado em que considera "caótica" a situação que se vive no serviço de urgência do hospital de Portalegre, afirmando que "muitos" dos doentes estão internados em condições "degradantes".

Em comunicado, o Conselho Distrital de Portalegre da Ordem dos Médicos denuncia que "muitos dos doentes que passam vários dias (e noites) no  serviço de urgência encontram-se internados em macas nos corredores, em  condições degradantes".

Pedro Marques, cabeça-de-lista do PS por Portalegre às legislativas de 05 de Junho, lembrou à agência Lusa que foram investidos nos últimos  seis anos dois milhões de euros naquele hospital, tendo sido duplicadas as camas no serviço de observação para que as pessoas estejam "menos tempo" nas urgências.

O socialista indicou que começou, recentemente, a funcionar no hospital uma unidade de convalescença, equipamento que constitui uma "parte da solução" do problema das urgências.

O candidato do PS aproveitou para acusar os partidos de “aproveitamento político" em tempo eleitoral com esta situação que envolve o "sofrimento e a dor das pessoas".

O candidato do CDS-PP, o cavaleiro tauromáquico Paulo Caetano, prometeu que este caso "não vai ficar esquecido" pelo partido, considerando que esta situação revela que o Governo do PS deixou chegar o Serviço Nacional de  Saúde (SNS) a um ponto de "ruptura extrema".

"O Hospital de Portalegre é o caso típico em que a gestão fomentada pelo PS revelou um dos lados mais negros da desumanização e da falta de consciência social desta governação. O nosso distrito tem sofrido e muito com a falta de política de saúde do PS", sublinhou.

Luísa Araújo, cabeça-de-lista da CDU, disse, por seu turno, que o comunicado da Ordem dos Médicos "não a surpreende", uma vez que tem conhecimento que a situação nas urgências do hospital é "caótica" em resultado das políticas desenvolvidas pelo PS.

"Isto é o resultado do ataque que tem sido feito aos serviços primários, com a redução de horários e de serviços, que levam as pessoas a recorrer às urgências dos hospitais", declarou.

Já o candidato do Bloco de Esquerda, Paulo Cardoso, lembrou que o partido denunciou em Janeiro esta situação, pedindo explicações ao Ministério da Saúde sobre a matéria.

"Para nós torna-se escandalosa esta situação, porque prova a propaganda que o governo Sócrates tem feito em torno da saúde. Nós exigimos que os próximos governantes tenham mais atenção para com os problemas do hospital  de Portalegre", concluiu.

Em 2009, os dois lugares do círculo eleitoral de Portalegre foram divididos pelo PS e pelo PSD. 

hospital psd legislativas ps portalegre
Ver comentários