Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Queimado em lar de idosos

Serafim Gonçalves denuncia o estado em que encontrou o pai.
Cláudia Machado 14 de Maio de 2015 às 00:30
Serafim Gonçalves denuncia o estado em que o pai ficou
Serafim Gonçalves denuncia o estado em que o pai ficou FOTO: Mariline Alves
O domingo era de sol e para animar o pai, internado no Instituto Geriátrico de Porto Salvo (IGPS), em Oeiras, os filhos levaram-no até casa. O que Serafim Gonçalves, de 53 anos, não esperava era encontrar a irmã "num pranto" devido ao estado em que se encontravam as zonas interior e anterior das coxas do pai, de 92 anos, no dia 10. O idoso apresentava extensas queimaduras e foi imediatamente conduzido pelos filhos ao Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.

"Antes de saírem do lar, a minha irmã pediu às funcionárias uma fralda para o caso de ser necessário e responderam-lhe que não era preciso porque já o tinham mudado", recorda Serafim Gonçalves, acrescentando que a irmã "insistiu e disseram- -lhe para esperar um pouco porque o iam mudar novamente".

Por uma questão de vigilância, os filhos acabaram por verificar o estado em que se encontrava o idoso, internado no IGPS desde o final do ano passado e que foi retirado da instituição ainda no domingo. Já estavam no hospital quando receberam a primeira explicação sobre a situação. "Disseram que o meu pai se tinha queimado no dia anterior, com chá, ao puxar uma travessa do lanche que seria para outro utente. Mas serve-se chá àquela temperatura a idosos?", questiona, sublinhando a indignação perante aquilo que considera ser falta de assistência e de comunicação com a família, que pensa agora avançar para a Justiça com o caso.

Contactada pelo CM, fonte do IGPS disse apenas que "o assunto está entregue ao gabinete jurídico" da instituição.

Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)