Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Randstad Portugal nega despedimento para abafar assédio sexual em call center

Sindicato de Trabalhadores de Call Center denunciou despedimento esta segunda-feira.
30 de Abril de 2019 às 18:46
Call center
Call Center, atendimento telefónico
Call center
Call center
Call Center, atendimento telefónico
Call center
Call center
Call Center, atendimento telefónico
Call center
O STCC (Sindicato dos trabalhadores de Call Center) acusou esta segunda-feira uma empresa que presta serviços em Braga, na Concetrix, de usar a "figura da caducidade" do contrato para despedir uma trabalhadora e assim "escamotear um caso de assédio sexual".

Em declarações à agência Lusa, o dirigente sindical do STCC Nuno Geraldes afirmou que a trabalhadora despedida foi agredida "com um estalo" por um outro colega que a "assediava constantemente", tendo sido os dois trabalhardes suspensos depois daquele facto.

Esta terça-feira, a Randstad Portugal quis deixar um esclarecimento dos factos de que está a ser acusada, através de comunicado, 

"As declarações oficiais do Sindicato de Trabalhadores do Call Center não correspondem à verdade", pode ler-se no esclarecimento, que acrescenta que "a atual situação em nada está relacionada com o incidente registado em novembro de 2018 no qual a colaboradora foi agredida por um colega".

A Randstad afirma ser uma empresa que assume uma posição de tolerância zero face a abusos e assédios, repudiando qualquer comportamento dessa natureza. "Por esse motivo, o trabalhador em questão foi despedido com justa causa, no seguimento de um processo disciplinar instaurado pela empresa", pode ler-se.

A empresa avançou ainda que a rescisão de contrato com a colaboradora se deve ao facto da empresa Concetrix ter "menor necessidade de postos de trabalho associados à área de atividade da trabalhadora em causa".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)