Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Reabilitação falha reforço antissísmico

Engenheiros alertam para elevada destruição com sismo igual aos de Itália.
João Saramago 14 de Junho de 2017 às 09:16
Baixa Pombalina de Lisboa
Sismo
Sismógrafo
Baixa Pombalina de Lisboa
Sismo
Sismógrafo
Baixa Pombalina de Lisboa
Sismo
Sismógrafo
Portugal apresenta uma fraca intervenção na reabilitação dos edifícios para fazer frente a um terramoto. A tal ponto que, a ocorrer um sismo semelhante aos verificados em Itália, no ano passado, "centenas de casas serão destruídas em Lisboa", alerta Mário Lopes, professor do Instituto Superior Técnico.

No seminário ‘A Realidade da Reabilitação Sísmica do Parque Edificado’, que decorreu em Lisboa, também João Estevão, da Universidade do Algarve, referiu que um sismo desta dimensão na falha de Carcavai, entre Loulé e Quarteira, destruiria a maior parte das casas em alvenaria.

Mário Lopes acrescentou, por sua vez, que na baixa pombalina, em Lisboa, "há intervenções que enfraquecem a resistência dos edifícios, em particular a estrutura de madeira em gaiola".

Segundo o engenheiro, não há uma prática de reforço sísmico dos edifícios quando são reabilitados, recordando que "essas medidas não eram obrigatórias até 1958". O custo destas obras varia de 20 a 230 euros por metro quadrado. "Representam um acréscimo nos custos de 12 a 30%".

Na explicação dos ganhos obtidos, Mário Lopes deu o exemplo de Nórcia, em Itália, onde a reabilitação evitou que a localidade sofresse destruição similar à da vizinha Amatrice.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)