Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Saiba qual a palavra mais pesquisada no dicionário durante os primeiros três meses do ano

Palavra mais pesquisada até ao momento foi postigo, por razões que se prendem com as regras impostas ao comércio durante o confinamento.
Lusa 6 de Abril de 2021 às 17:42
Café com venda ao postigo
Café com venda ao postigo
A palavra postigo foi a mais pesquisada durante os primeiros três meses do ano no dicionário Priberam, que registou ainda um aumento de pesquisas na ordem dos 30%, face ao mesmo período de 2020, foi esta terça-feira divulgado.

"Desde o início deste ano, já foram feitas mais de 78 milhões de pesquisas no Dicionário Priberam, o que representa um crescimento de cerca de 30% relativamente ao mesmo período de 2020", revela a Priberam em comunicado, especificando ter sido consultado por mais de 14 milhões de utilizadores.

A palavra mais pesquisada até ao momento foi postigo, por razões que se prendem com as regras impostas ao comércio durante o confinamento, acrescenta.

O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, que fez 12 anos de existência no dia 1 de abril, passou ainda a integrar 592 palavras novas, muitas delas associadas à covid-19 ou à área da medicina em geral.

Aeromédico, antiescaras, aquarentenar, autoteste, borderline, imunotolerante, oncogenicidade, porta-máscara, salva-orelhas, uranálise ou virtópsia são alguns desses exemplos.

Relativamente a outras áreas, entraram termos como antifraude, braquiação, coluvial, encorricado, gamer, heterocaracterização, indo-pacífico, luso-senegalês, narcossubmarino, párodo ou xamânico, entre muitas outras.

Em 2020, o Dicionário Priberam integrou 2.200 novos verbetes.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
economia negócios e finanças política diplomacia pandemia postigo
Ver comentários