Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

SATA diz que greve na Azores Airlines não está a prejudicar voos

Tudo decorre "dentro da normalidade", afirma fonte da transportadora.
Lusa 15 de Junho de 2018 às 19:23
Avião da Azores Airlines
SATA
Avião da SATA
Avião da Azores Airlines
SATA
Avião da SATA
Avião da Azores Airlines
SATA
Avião da SATA
As ligações da transportadora aérea Azores Airlines, que assegura voos com o exterior dos Açores, estão a processar-se esta sexta-feira "dentro da normalidade" apesar da greve às assistências, referiu fonte do grupo SATA.

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) decretou, com efeitos a partir desta sexta-feira e por tempo indeterminado, greve aos serviços de assistência planeados para os tripulantes de cabine, bem como a tarefas no solo agendadas para estes tripulantes.

O porta-voz do grupo SATA, António Portugal, em declarações à Lusa referiu que a greve às assistências pode introduzir alguma pertubação face à imprevisibilidade dos próximos dias e em função de uma doença ou outras razões que impeçam o tripulante de cabine de assegurar o seu serviço.

O Tribunal Arbitral considerou que existem alternativas de voo dos Açores para o continente, no caso específico de Ponta Delgada e Terceira, mas decretou serviços mínimos para "todos os voos impostos por situações críticas relativas à segurança de pessoas e bens", incluindo voos-ambulância, casos de perigo de vida e de emergência médica, entre outros.

Os sindicatos da SATA, entre os quais o SNPVAC, têm vindo a manifestar preocupação com a situação financeira da empresa, salvaguardando que o acionista não tem revelado a atenção que deveria com a operadora.

O grupo fechou 2016 com um resultado de 1,7 milhões de euros, face aos 8,8 milhões negativos de 2015, sem contabilizar os impostos, mas ainda com prejuízos, que não foram divulgados.

A Azores Airlines fechou o terceiro trimestre de 2017 com um prejuízo de 20,6 milhões de euros, estando ainda por fechar as contas finais do ano.

O Governo dos Açores decidiu privatizar 49% do capital social da operadora, tendo anunciado em 17 de abril, na sequência da abertura de um concurso, que a Loftleidir Icelandic foi pré-qualificada para a segunda fase do processo de negociação da alienação.

A transportadora Loftleioir-Icelandic falhou, entretanto, o prazo para apresentação de uma proposta vinculativa para aquisição de 49% da Azores Airlines, tendo requerido uma prorrogação do prazo, que terminou às 00:00 de terça-feira.

Segundo o grupo SATA, a prorrogação solicitada pela operadora de transporte aéreo islandesa foi justificada com a "necessidade de efetuar uma análise mais minuciosa à informação disponibilizada na 'data room' que contém informação relativa à operação de alienação".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)