Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Secretária de Estado da Proteção Civil espera decisão jurídica

Registo de Patrícia Gaspar pode ter de ser alterado devido a negócio com a irmã, que trabalha na NEC.
António Sérgio Azenha e Francisca Genésio 5 de Julho de 2022 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Secretária de Estado da Proteção Civil espera decisão jurídica
O Ministério da Administração Interna (MAI) está a aguardar as conclusões jurídicas da “análise em curso” para saber se o registo de interesses da secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, deve incluir o facto de a irmã, Joana Gaspar, trabalhar na NEC Portugal - empresa que vendeu ao Governo equipamentos ligados ao SIRESP.

Apesar de já ter preenchido o formulário de registo de interesses junto à Assembleia da República, “dentro do prazo legalmente previsto”, no site do Parlamento ainda aparece que Patrícia Gaspar é secretária de Estado da Administração Interna, cargo que teve em 2019. Neste registo de interesses não há qualquer alusão à irmã da governante.

O negócio com o SIRESP, dividido em nove contratos - seis por ajuste direto -, rendeu quase 1,2 milhões de euros à NEC Portugal, tal como o CM noticiou, em primeira mão, na edição de domingo. Joana Gaspar admite, no perfil da rede social LinkedIn, ter capacidade de gestão de projetos “quer na componente comercial quer técnica”, nas áreas de telecomunicações, nomeadamente “em Comunicações Tetras/SIRESP [Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal]”. Na altura, Patrícia Gaspar tutelava diretamente a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

O Correio da Manhã questionou a Procuradoria-Geral da República sobre a abertura de um eventual inquérito aos negócios, que remeteu resposta para mais tarde.
Ver comentários