Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Setúbal responde com vigília à chegada de navio que vai efetuar dragagens

Movimento SOS Sado ultima providência cautelar para tentar travar dragagens em Setúbal.
Bernardo Esteves 7 de Dezembro de 2019 às 10:03
A carregar o vídeo ...
Setúbal responde com vigília à chegada de navio que vai efetuar dragagens
O navio que vai efetuar as dragagens no rio Sado chegou esta sexta-feira de madrugada a Setúbal e, no próprio dia, foi marcada uma vigília de contestação para este domingo, às 17h00, no jardim Eng. Luís Fonseca, conhecido como jardim da Beira Mar.

O protesto foi convocado pelo movimento SOS Sado, que revelou ao CM estar a ultimar uma providência cautelar para tentar travar os trabalhos. "A providência cautelar entra hoje (ontem) ou na segunda-feira", disse ao CM David Nascimento, da SOS Sado.

Temem danos ambientais irreversíveis no parque marinho Luiz Saldanha, junto à serra da Arrábida, que, por exemplo, afastem da zona a população de 26 golfinhos roazes-corvineiros.

"Muitos dos riscos não foram tidos em conta na declaração de impacte ambiental nem nas medidas de mitigação. Há vários alertas da comunidade científica relacionados com o grau de contaminação dos dragados e das pradarias marinhas", afirmou David Nascimento.

O Ministério das Infraestruturas e Habitação diz que os trabalhos da primeira fase "estão em condições para avançar na semana de 9 a 15 de dezembro". Esta primeira fase dura cinco meses e está prevista a retirada de 3,5 milhões de metros cúbicos de areia.

Resultado de providência ainda por conhecer
Outras providências cautelares não tiveram sucesso, mas falta conhecer o resultado de uma interposta pelo Grupo Pestana. Em causa está a deposição das areias removidas na zona da restinga de Troia, muito próximo de uma unidade hoteleira pertencente a este grupo.

Risco de embate com navios naufragados
Um dos riscos das dragagens no estuário do rio Sado é que sejam encontrados navios naufragados com valor arqueológico. "Existe uma elevada probabilidade de embate com embarcações naufragadas de arqueologia subaquática, segundo levantamentos realizados", diz a SOS Sado.

PORMENORES
Aumentar profundidade
A obra, a cargo da Administração do Porto de Setúbal e Sesimbra, pretende aumentar a profundidade do porto até 13 metros para permitir a entrada de navios de maior calado.

Custo de 24,5 milhões
A obra custa 24,5 milhões de euros e deve durar um ano no total. Os trabalhos decorrerão sem pausas, 24 horas por dia.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)