Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Sindicato das Pescas: "Prudência não enche barrigas"

Pescadores respondem à ministra da Agricultura e do Mar.
28 de Outubro de 2014 às 19:15
Barco de pesca
Barco de pesca FOTO: Luís G. Costa

O Sindicato da Pesca do Sul disse esta terça-feira que "a prudência não enche barrigas", depois de a ministra do Mar ter pedido aos profissionais para não arriscarem com mar adverso, após a morte de um pescador em Olhão.

A ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, lamentou hoje o acidente que causou a morte a um pescador em Olhão e deixou "uma palavra para a família" enlutada e alertou a comunidade piscatória nacional para que "não arrisque quando se verifiquem situações de mar difícil", durante uma visita ao porto de pesca da Póvoa de Varzim.

Num comunicado divulgado esta terça-feira, o Sindicato dos Trabalhadores da Pesca do Sul criticou a falta de verbas no Orçamento do Estado (OE) para 2015 destinadas a desassoreamentos na costa algarvia e sublinhou que o acidente ocorreu na barra do Armona, ilha barreira da Ria Formosa, cujo assoreamento a comunidade piscatória denuncia há uma dezena de anos.

"O problema dos assoreamentos, na costa algarvia, tem de merecer uma maior atenção da ministra e do Governo, para que não aconteçam mais acidentes ou naufrágios e não venha a aumentar o número de mortes entre os pescadores. É com enorme preocupação que não vemos no OE para 2015 verbas destinadas à urgência dos assoreamentos dos portos e barra", pode ler-se no comunicado do Sindicato.

Sindicato das Pescas ministra da Agricultura e do Mar Assunção Cristas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)