Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

“SNS vai ter que escolher quem trata”

O médico Manuel Sobrinho Simões, Prémio Pessoa em 2002, considera que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) não é sustentável e que "a médio prazo teremos que decidir quem vamos tratar e deixar morrer".

7 de Maio de 2009 às 00:30
O médico Sobrinho Simões
O médico Sobrinho Simões FOTO: Ricardo Almeida

"Sou totalmente a favor do SNS, mas ele é insustentável, mesmo se melhorarmos os 25% de desperdício que existe", afirmou Sobrinho Simões na sessão ‘Uma Visão Diferente da Saúde – Prémios Pessoa em diálogo’, terça-feira, em Coimbra. "Teremos que fazer cedências, definir que prestações de cuidados são essenciais e explicar aos doentes por que é que não os tratamos", acrescentou.

O médico sublinhou ainda o "efeito perverso" e "obsceno" que a medicina privada pode ter "quando o SNS deixar de tratar todos", explicando que o fenómeno se deve ao envelhecimento da população, aos preços elevados de medicamentos e diagnósticos e à expectativa da imortalidade. Na sessão, moderada por Clara Ferreira Alves, estiveram ainda o jurista Gomes Canotilho e o arquitecto Carrilho da Graça.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)