Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Sobram 6.393 vagas para a segunda fase do concurso de acesso ao Ensino Superior

Politécnico de Bragança é a instituição com mais lugares disponíveis. Escolas de enfermagem e ISCTE sem vagas sobrantes.
Lusa 26 de Setembro de 2021 às 07:41
ISCTE-IUL
ISCTE-IUL FOTO: David Martins
Há 6.393 vagas para a segunda fase do concurso de acesso ao ensino superior, destacando-se o Politécnico de Bragança, com mais lugares disponíveis, mas também as escolas de enfermagem e o ISCTE sem quaisquer vagas sobrantes. 

Na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior (CNAES) foram disponibilizadas 55.307 vagas, das quais sobraram 6.393 para a segunda, que arranca segunda-feira e termina a 8 de outubro.  

São mais 343 vagas do que no ano passado, mas as instituições mais procuradas voltam a ter pouca oferta.

Na maioria dos cursos (73%) não sobrou qualquer vaga da primeira para a segunda fase: são 784 cursos num universo de pouco mais de mil.

As três escolas superiores de enfermagem (em Coimbra, Lisboa e Porto) assim como o ISCTE -- Instituto Universitário de Lisboa não apresentam, neste momento, qualquer vaga para a segunda fase. 

O ISCTE-- Instituto Universitário de Lisboa volta assim a ser, pelo segundo ano consecutivo, a única universidade pública portuguesa a esgotar todas as vagas na primeira fase de candidaturas ao ensino superior.

A Universidade Nova de Lisboa tem apenas dois lugares, depois de uma primeira fase em que mais de cinco mil candidatos colocaram a instituição como primeira opção de preferências, tentando ficar com uma das 2.894 vagas existentes.

Já o Instituto Politécnico (IP) de Bragança é o que disponibiliza mais vagas para a segunda fase do CNAES: 1.178, depois de uma primeira fase em que abriram 2.236 lugares, aos quais concorreram apenas 1.074 alunos. 

O IPBragança é também a instituição com mais cursos sem qualquer aluno colocado nesta fase: onze cursos, na maioria na área das engenharias, que vão desde a Engenharia Civil a Eletrotécnica, passando pela Agronomia, Alimentar ou Zootécnica.

A instituição raiana conta ainda com outros sete cursos com menos de dez alunos, como é o caso de Música em Contextos Comunitários (um colocado) ou de Engenharia Mecânica (quatro colocados). 

As instituições do interior do país voltam a ser as que apresentam mais vagas na segunda fase, como o Instituto Politécnico (IP) de Viseu (480 vagas), o IPCastelo Branco (443) ou o IPGuarda (354 vagas). 

Os resultados da primeira fase mostram mais alunos nas instituições localizadas em regiões com menor densidade demográfica: 12.318 estudantes, com diversas instituições do interior a aumentar o número de colocados face ao ano anterior: como é o caso da Universidade de Évora, IP Beja, IP Portalegre, IP Bragança, IP Guarda, IP Santarém, IP Viseu e IP Tomar.   

As vagas ocupadas na primeira fase do concurso em que não se concretize a matrícula e inscrição serão divulgadas a 7 de outubro no 'site' da Direção-Geral do Ensino Superior.  

Perante estes novos dados, os candidatos têm um dia (até 8 de outubro) para alterar a candidatura, caso já a tenham feito. 

Os resultados da segunda fase do concurso nacional de acesso serão divulgados a 14 de outubro.  

Para a primeira fase do CNAES foram disponibilizadas 55.307 vagas, tendo ficado colocados mais de 49 mil estudantes. Os restantes 14.552 candidatos (33%) não conseguiram entrar no ensino superior.   

Segundo estimativas da Direção-Geral do Ensino Superior, neste ano que agora se inicia deverão inscrever-se mais de 100 mil novos estudantes, tendo em conta as diferentes formas de ingresso no ensino superior público e privado.    

Os resultados da primeira fase do concurso estão disponíveis no 'site' da Direção-Geral do Ensino Superior: http://www.dges.gov.pt.

Ver comentários