Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Três alunos com tuberculose

Casos de tuberculose ocorreram na Escola Secundária Damião de Góis, em Alenquer.
23 de Abril de 2015 às 19:53
Alunos
Alunos FOTO: Jorge Paula
Três alunos da Escola Secundária Damião de Góis, em Alenquer, estão com tuberculose, confirmou, esta quinta-feira, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, adiantando que toda a comunidade escolar vai fazer rastreios como "medida cautelar".

A delegada regional adjunta de saúde pública da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Elsa Soares, disse à agência Lusa que "a situação está controlada", confirmando que existem três casos diagnosticados.

"São casos pontuais e não se pode falar em surto", sublinhou, esclarecendo que não há suspeitas de novos casos "dentro ou fora da escola".

A responsável adiantou que, como "medida cautelar", toda a comunidade escolar, desde alunos professores e funcionários, vai ser sujeita a rastreios, submetendo-se à prova tuberculínica e a exames complementares de diagnóstico.

Num comunicado, disponibilizado na quarta-feira no seu site, o Agrupamento de Escolas Damião de Góis revelou que o primeiro caso foi diagnosticado em agosto do ano passado, o segundo em dezembro e o terceiro "no final do segundo período", em março.

Além de alunos e professores das respetivas turmas terem feito rastreios, o agrupamento tem vindo a arejar "com frequência" as salas de aula, como indicado pela Saúde Pública e promoveu sessões de esclarecimento sobre a doença.

Rastreio da população local
No comunicado, o agrupamento informou que, após ser diagnosticado o primeiro caso, em março, "solicitou com urgência a realização de um rastreio a toda a população escolar".

A delegada regional adjunta da ARS, afirmou à Lusa que, depois de rastreios a contactos próximos e conviventes, desde professores, familiares e colegas de turma, "foram iniciados esta semana rastreios mais alargados" a todos os alunos, professores e funcionários da escola, "como medida cautelar no sentido de apurar se existe mais alguma situação".

Contudo, no comunicado divulgado pela escola, é referido que "o rastreio geral ainda não foi feito", tendo o agrupamento adiantado que estariam marcados para sexta-feira e dias 27 de abril e 5 de maio.

"São medidas rotineiras consideradas suficientes para acalmar as pessoas e a Saúde Pública ter uma noção mais correta da situação", esclareceu Elsa Soares, acrescentando que os casos diagnosticados na área da ARSLVT "são os expetáveis" nos meios urbanos pelas entidades de saúde e que a incidência da doença está a diminuir.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)