Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Tumor de Fábio era operável em Portugal

O tumor cerebral maligno de Fábio Castelo, menino de oito anos, de Almeirim, que foi operado em Hanôver, na Alemanha, podia ter sido removido em Portugal. A revelação é do próprio médico José Miguéns, do Hospital de Santa Maria, de Lisboa, que acompanhou todo o processo de Fábio desde o momento do diagnóstico.

24 de Fevereiro de 2012 às 01:00
Susana e Cândido levaram o filho Fábio ao Instituto Internacional de Neurociências, na Alemanha, para ser operado
Susana e Cândido levaram o filho Fábio ao Instituto Internacional de Neurociências, na Alemanha, para ser operado FOTO: João Nuno Pepino

"O tumor era operável em Portugal, mas entendeu-se que a cirurgia não era determinante para a cura. É um tumor altamente maligno com uma taxa muito elevada de multiplicação, cuja solução pode passar por uma terapia direccionada para aquele tumor específico", explicou ao CM José Miguéns, recordando que "o tumor ressurgiu em poucas semanas após um primeiro tratamento bem sucedido com quimio e radioterapia".

Fábio Castelo está em Hanôver, na Alemanha, onde anteontem foi operado ao tumor no Instituto Internacional de Neurociências. Segundo o pai, Cândido Castelo, a operação "demorou cerca de nove horas" e foi bem sucedida. "O médico Helmult Bertalanffy explicou que o tumor foi removido na totalidade. Foi uma cirurgia muito complicada, porque é um tumor muito agressivo. Agora dizem que vão analisá-lo e escolher a quimioterapia mais apropriada", disse ao CM, dando conta de que o "Fábio está bem, já fala, já come e mexe os braços e pernas".

Após dias de sofrimento e ansiedade, os pais, Cândido e Susana, começam, aos poucos, a respirar de alívio: "A primeira batalha está ganha, mas vamos ter outras pela frente. Não sabemos ainda quanto mais tempo vamos ficar por cá".

Recorde-se que os pais de Fábio Castelo lançaram um apelo nas redes sociais para conseguir dinheiro e levar o filho à Alemanha. Através da notícia do Correio da Manhã, um anónimo entregou os 50 mil euros necessários.

hospital terapia tumor fábio maligno
Ver comentários