Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Turismo do Algarve com ocupação mais baixa de sempre

Alojamento na região algarvia registou uma ocupação de 32,6%.
Tiago Griff 18 de Agosto de 2020 às 08:28
Praia do Algarve
Restrições impostas pelo Governo britânico têm limitado as viagens de turistas britânicos para o Algarve
Praia do Algarve
Restrições impostas pelo Governo britânico têm limitado as viagens de turistas britânicos para o Algarve
Praia do Algarve
Restrições impostas pelo Governo britânico têm limitado as viagens de turistas britânicos para o Algarve

A taxa de ocupação turística global na região, em termos de alojamento, situou-se nos 32,6 por cento durante o mês passado. Segundo a Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, que ontem divulgou estes dados estatísticos, foi "o valor mais baixo de sempre para mês de julho".

Este números estão diretamente relacionados com as restrições aplicadas devido à pandemia Covid-19, em especial os limites impostos pelo Governo britânico nos corredores aéreos - os turistas ingleses têm de ficar de 14 dias de quarentena no regresso a casa após passagem por Portugal.

Existe, no entanto, um ponto positivo nestes dados: esta mesma taxa ocupação global situava-se nos 11,3% em junho, registando assim um aumento considerável em julho, na ordem dos 21,3%. Isto deve-se, essencialmente, aos turistas nacionais, que acorreram ao Algarve este verão. Entre espanhóis (6,8%), alemães (5,8%) e holandeses (5,4%), entre outras nacionalidades menos expressivas, os portugueses dominam na de ocupação hoteleira: 60,9%.

A recuperação poderá ser mais acentuada a partir de setembro com o início da época alta do golfe e caso os britânicos levantem as restrições.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários