Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Um terço dos estudantes universitários em Lisboa é vítima de abuso sexual

Maioria das vítimas não reporta as agressões.
Vanessa Fidalgo 11 de Dezembro de 2019 às 09:03
Maioria dos crimes é cometida por amigos ou conhecidos, o que explica a dificuldade em partir para a denúncia
Maioria dos crimes é cometida por amigos ou conhecidos, o que explica a dificuldade em partir para a denúncia FOTO: IStockPhoto
Um terço dos estudantes universitários da área metropolitana de Lisboa já foi vítima de violação, coação ou abuso sexual, mas poucos acabaram a denunciar a agressão. Esta é uma das principais conclusões do estudo ‘Violência Sexual na Academia de Lisboa’, realizado pela Federação Académica de Lisboa (FAL).

O inquérito - 1052 estudantes, com idades entre os 17 e os 30 anos, foram ouvidos - revelou ainda que a maioria dos universitários foi vítima de violência sexual, física ou de outra ordem.  


O estudo da FAL indica que 34,2% dos estudantes referem ter passado por algum tipo de violência sexual física - abuso, coação ou violação. Comentários provocatórios ou outras situações de importunação sexual foram vivenciadas por cerca de 80% dos estudantes. Cerca de 55% indicou mesmo ter sido importunado sexualmente de forma reiterada.

A maioria (61,4%) revela também já ter sido vítima de assédio sexual. A investigação indica ainda que 89% dos universitários nunca reportaram este tipo de situação e, quando o fizeram, dirigiram-se à Polícia (39,53%), a familiares e amigos (35%), mas raramente à instituição de ensino superior que frequentam.

"Não denunciam porque a maioria dos agressores são pessoas próximas da vítima e não desconhecidos, por medo, vergonha ou falta de informação. Têm dificuldade em distinguir situações de violência e assédio, ou assédio e comportamentos normais", explicou ao CM Daniel Cotrim, da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)