Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Universidade Católica passou a ser a melhor portuguesa no ranking mundial

Depois de ter entrado no ano passado no ranking mundial da Times Higher Education (THE), a Católica “roubou” a liderança à Universidade do Porto.
Jornal de Negócios 11 de Setembro de 2019 às 19:19
Universidade Católica Portuguesa
Universidade Católica Portuguesa FOTO: Correio da Manhã
A Católica passou a ser a melhor universidade portuguesa no prestigiado ranking anual da Times Higher Education (THE) 2020, divulgado esta quarta-feira, 11 de setembro.

Esta entidade foi a única das 13 instituições nacionais que integram este ranking mundial com quase 1.400 universidades a subir na classificação relativamente ao último ano. A Católica, que só entrou neste ranking no ano passado (601-800), surge agora no grupo das classificadas entre a posição 351-400.

Esta é a 16ª edição do ranking desta publicação britânica abrangendo a avaliação de cerca de 5.000 instituições que concorreram com base em 13 indicadores repartidos por eixos que vão desde a qualidade do ensino à reputação da investigação, passando pelas citações em revistas especializadas e a internacionalização.

A partir do 200º lugar, as instituições são apresentadas e blocos, não sendo possível por isso identificar a classificação concreta neste intervalo.

Entre as portuguesas, a segunda conclusão que se pode retirar é que seis mantiveram a sua classificação e outras tantas caíram na tabela em relação ao último ano.

Em declarações ao Negócios, a reitora da Universidade Católica, Isabel Gil, não escondeu a sua satisfação: "Estamos muito felizes com o reconhecimento do trabalho que a universidade tem vindo a desenvolver para especializar a sua investigação, potenciando as redes internacionais dos seus docentes, posicionando–se ao nível da redes científicas internacionais", começou por reagir a responsável desta instituição. 

Isabel Gil fez questão de destacar que a Católica obteve "a melhor classificação de sempre de uma universidade portuguesa numa altura em quem há um forte crescimento das universidades asiáticas, que têm uma fortíssima capacidade de investimento, investigação e desenvolvimento".

Questionada sobre as razões que levaram à subida na tabela da THE, a reitora da universidade atribuiu ao "impacto internacional da investigação, o indicador mais importante do ranking", e que até nem é fornecido pela própria universidade.

"Não é quantidade do que se produz mas a relevância do que se produz", acrescentou Isabel Gil, referindo-se à investigação que tem vindo a ser desenvolvida em áreas como a gestão e economia, a biotecnologia, microbiologia e economia circular.

Instada a comentar a classificação das instituições portuguesas em termos globais, a reitora defendeu que as "universidades não podem trabalhar para os rankings, porque os resultados são o efeito de estratégias de longa duração". "As instituições portuguesas têm muita qualidade, mas outra coisa é a competitividade internacional", acrescentou.

Oxford lidera pelo quarto ano consecutivo
Em termos globais, o ranking da THE 2020 é liderado pelo quarto ano consecutivo pela Universidade de Oxford. A rival de Cambridge, que no ano passado ocupava a segunda posição, caiu uma posição, tendo sido ultrapassada na classificação pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia, instituição que registou a maior subida entre as 10 melhores universidades do mundo.

As universidades do Reino Unido (três no top 10) e dos Estados Unidos (sete) continuam a dominar este ranking. Se olharmos para o top 20, verifica-se que só há duas instituições não britânica ou norte-americana s: a ETH de Zurique (13ª) e a Universidade de Toronto (18ª).

Ranking das melhores universidades da Times Higher Education (mundiais e portuguesas):
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)