Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Urgência encerrada

O Hospital de Santo António, no Porto, ficou a partir de ontem sem urgência diurna (08h00-20h00) de Urologia. A decisão é da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte, que alega falta de meios humanos, o que levou a uma resposta de repúdio por parte dos médicos daquele serviço.
18 de Março de 2009 às 00:30
Fonte hospitalar cataloga a decisão da ARS Norte de “leviana”
Fonte hospitalar cataloga a decisão da ARS Norte de “leviana” FOTO: José Rebelo

"É completamente falso e os pressupostos da decisão são inexistentes. Trata-se de uma retaliação por os médicos deste serviço não terem cumprido a ordem da ARS Norte de fazerem urgências nocturnas no Hospital de São João", disse ao CM, o chefe de serviço da unidade de Urologia, Arnaldo Lhamas.

O mesmo responsável cataloga a decisão da ARS Norte de "leviana e de má-fé ", pois o serviço nos últimos 85 anos "sempre funcionou bem e substituía as muitas falhas que apareciam nas urgências do Hospital de S. João".

Segundo fonte hospitalar, os seis especialistas e os seis internos faziam em média uma cirurgia e meia por urgência, sendo atendidas quinze pessoas.

"No fundo estamos a defraudar a população", disse o chefe de serviço.

O conflito entre o serviço de Urologia do Santo António e a ARS Norte começou quando os médicos daquela unidade, sustentados num parecer jurídico, recusaram fazer urgências nocturnas no Hospital de S. João. Contactada pelo CM, a ARS Norte não quis comentar o assunto.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)