Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Urgências de pediatria do Hospital Garcia de Orta já reabriram

Pela terceira noite consecutiva, serviço esteve encerrado por falta de médicos. Quatro crianças tiveram de ser encaminhadas a outros hospitais.
SÁBADO 15 de Outubro de 2019 às 12:15
A carregar o vídeo ...
Pela terceira noite consecutiva, serviço esteve encerrado por falta de médicos. Quatro crianças tiveram de ser encaminhadas a outros hospitais.

As urgências pediátricas do hospital Garcia de Orta, em Almada, estiveram esta segunda-feira encerradas pela terceira noite consecutiva por falta de médicos. O serviço foi reaberto pelas 9h desta terça-feira depois de uma reunião na qual estiveram a administração e a equipa médica do hospital, indica o Observador.

O presidente do Conselho de Administração do Garcia de Orta, Luís Amaro, afirmou que o problema no hospital já está resolvido mas apenas até à próxima sexta-feira: "Por consenso com o serviço ficou assegurado que as escalas de segunda a sexta-feira vão ser asseguradas pelo próprio serviço. Estamos a trabalhar e em conversações com a União das Misericórdias para encontrar soluções para o fim de semana".

Citado pelo Observador, o responsável explicou que o problema que está a afetar as urgências de pediatria é "estrutural", indicando que "não há pediatras em Portugal" e que estão em curso negociações com o Ministério da Saúde e com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo para a contratação de novos médicos - não especificando quantos serão adicionados ou quantos são necessários.

De acordo com a SIC, quatro crianças tiveram de ser encaminhadas a outros hospitais durante a noite desta segunda-feira e madrugada de terça. Em comunicado, o Conselho de Administração do Hospital Garcia de Orta informou que a urgência do serviço de pediatria estaria encerrada das 21h00 de segunda-feira até às 08h30 desta terça-feira.

"Solicita-se a todos os utentes que, caso necessitem de recorrer a uma urgência pediátrica durante o referido período, se dirijam à Urgência Pediátrica do Hospital de Santa Maria ou do Hospital de Dona Estefânia", referia o mesmo.

Numa carta enviada ao bastonário dos Médicos no início deste mês, a que a Lusa teve acesso, os pediatras deste hospital pediram a intervenção urgente da ordem na situação do serviço de urgência pediátrica por considerarem que não há condições mínimas de segurança para os doentes em vários momentos.

Também os médicos internos, em formação, denunciam que têm sido "incessantemente coagidos pela administração para cumprirem horas de urgência além do estipulado por lei" e que são "pressionados" a trabalhar numa urgência com uma equipa de apenas dois elementos, quando o mínimo exigível seria quatro.

Esta situação já se arrasta há mais de um ano, quando saíram 13 profissionais do hospital e nem o lançamento de concursos foi suficiente para colmatar a carência porque "ninguém concorreu", segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul.

A mesma fonte alertou na sexta-feira que a urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta continuava em risco de fechar à noite e que mais quatro médicos podem demitir-se caso não existam "mudanças".

"A proposta dos colegas de pediatria é muito clara: têm que deixar de fazer bancos de urgência à noite, porque só sete pediatras é que fazem urgência e, desses sete, só quatro têm menos de 55 anos [e fazem noites]", afirmou, na altura, à agência Lusa o presidente do sindicato, João Proença.

Com Lusa

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)