Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Usa o primo para 'lavar' 50 mil euros

Presidente do IRN, que é considerado o chefe da rede, endossou cheque a familiar de Tabuaço que é bancário.
Eduardo Dâmaso(eduardodamaso@sabado.cofina.pt), Henrique Machado, Tânia Laranjo e Tiago Virgílio Pereira 16 de Novembro de 2014 às 21:03
Detidos esconderam este sábado o rosto à entrada do tribunal
Detidos esconderam este sábado o rosto à entrada do tribunal FOTO: João Carlos Santos

António Figueiredo, presidente do Instituto dos Registos e Notariado, usou uma conta pessoal do primo, funcionário bancário na Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Tabuaço, para ‘lavar’ 50 mil euros. Esta é a convicção da investigação que avançou com buscas para aquela entidade bancária – e que foram presididas pelo próprio juiz Carlos Alexandre – depois de ter sido detetado que um cheque de Figueiredo, da Caixa Geral de Depósitos, tinha sido endossado àquele familiar e transferido depois para uma aplicação financeira em nome do líder do IRN.

O CM sabe que as buscas na quinta-feira de manhã visaram então duas contas da agência de Viseu: a do funcionário e a de António Figueiredo, que a investigação acredita ser o principal beneficiário do esquema de comissões à volta dos vistos gold.

Este sábado, durante todo o dia, o advogado de António Figueiredo esteve a analisar a prova recolhida pelos investigadores da PJ durante os últimos meses, o que acabou por adiar a sua inquirição. Só hoje é que será interrogado, prevendo-se então que sejam conhecidas ao final do dia as medidas de coação aplicadas. Além de branqueamento de capitais, Figueiredo responde por corrupção.

Ver comentários