Vícios custam milhões

O tabaco e o álcool são os dois produtos que mais matam em Portugal e representam cerca de 678 milhões de euros em gastos com a Saúde, de acordo com o Estudo Comparativo dos Custos e Carga da Doença Atribuíveis ao Tabaco e ao Álcool.

19.09.08
  • partilhe
  • 0
  • +
Vícios custam milhões
Segundo Miguel Gouveia, o álcool mata mais até aos 44 anos Foto D.R.

O tabaco foi responsável por 12 600 mortes em 2005, ou seja, 11,7% do total. Por sua vez o álcool causou 4050 mortes, 3,8% do total. Por faixa etária, o álcool é a dependência que mais homens mata até ao grupo entre os 40 e 44 anos, com 180 óbitos. No sexo feminino, a preponderância da morte associada ao álcool prolonga-se até à faixa etária entre os 50 e 54 anos, com perto de 50 casos.

Em idades mais avançadas o tabaco surge à frente do álcool no número de óbitos. Entre os homens o valor mais elevado é entre os 75 e 79 anos com cerca de 1700 mortes. Nas mulheres, perto de 600 óbitos por tabaco ocorreram entre os 80 e 84 anos, revela o trabalho liderado pelos professores Miguel Gouveia e António Vaz Carneiro.

Ao se estimar a carga global da doença verifica-se que os anos de vida perdidos ajustados por incapacidade para as doenças atribuíveis ao tabagismo foram de 145 801, enquanto que para as doenças atribuíveis ao alcoolismo foram de 41 257. "Esta medida dá-nos o valor dos anos de vida perdidos por morte ou incapacidade [redução da qualidade de vida] atribuível a estas doenças", sustenta o estudo. Nos gastos com a Saúde, o tabagismo representa 489 milhões de euros, dos quais 126 milhões devidos a internamentos. Por sua vez, o álcool atinge 189 milhões de euros, representando o internamento 96 milhões.

Os fumadores são mais atingidos por doenças respiratórias e pelo cancro.

Nos alcoólicos as doenças do fígado e os acidentes de viação são os principais problemas. Os dados agora divulgados não tomam em conta a lei que entrou em vigor em Janeiro e que restringe o consumo do tabaco.

OS NÚMEROS

637 MIL

menores de 15 anos expostos ao fumo do tabaco consumido em casa pelos pais e irmãos mais velhos. O valor nacional resulta de um estudo da Universidade do Minho, do professor José Precioso.

1,8 MILHÕES

é o total de portugueses maiores de 15 anos que são fumadores, segundo o último Inquérito Nacional de Saúde, realizado em 2005.

1519

é o número de adultos que por ano morre em Portugal por causa do tabaco dos outros, segundo dados da Sociedade Europeia de Problemas Respiratórios, de 2005

40 MILHÕES

de maços é a quantidade que os portugueses deixaram de fumar desde Janeiro.

"CRIANÇAS COM FUMO DE DOIS CIGARROS" (Francisco George, Director-geral da Saúde)

Correio da Manhã – Mesmo com a nova Lei do Tabaco os serviços pediátricos tratam um elevado número de crianças com patologias respiratórias associadas ao fumo passivo?

Francisco George – É uma realidade. As crianças chegam a fumar passivamente o equivalente a dois cigarros por dia por causa do tabaco que os pais fumam em casa.

– Oito meses depois da entrada em vigor da lei os portugueses fumam menos?

– Verifica-se uma tendência de redução gradual do consumo do tabaco, a exemplo do que aconteceu em Itália, de acordo com os dados das alfândegas e retalhistas.

– Quando serão conhecidos os valores dessa redução?

– Dentro de dois anos e meio, com base na recolha e análise de dados obtidos pelo sistema Infotabaco.

– Miguel Gouveia defende que o tabaco recebe menor prioridade na política de saúde do que o álcool. Concorda?

– Não. O exemplo é a própria Lei do Tabaco.

 

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!