Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Falta de exposição solar leva a carências de vitamina D

Ausência pode provocar problemas nos ossos, nas funções musculares e até no sistema imunitário.
Cláudia Machado 9 de Julho de 2017 às 09:23
Ausência pode provocar problemas nos ossos
Ausência pode provocar problemas nos ossos
Ausência pode provocar problemas nos ossos
Ausência pode provocar problemas nos ossos
Ausência pode provocar problemas nos ossos
Ausência pode provocar problemas nos ossos
A falta de vitamina D pode traduzir-se em raquitismo nas crianças ou em osteomalácia nos adultos. Ambas implicam alterações nos ossos, que ficam mais fracos, deformados ou que se partem com facilidade. Ambas têm uma única forma de serem tratadas: através da reposição de vitamina D. Mas esta substância natural tem influência em muitas outras áreas, desde o sistema imunitário às funções musculares e cardíacas e há, assim, grupos de risco a ter em atenção.

"Os idosos e as pessoas em lares são um dos grandes grupos de risco para a carência de vitamina D porque não obtêm a exposição solar necessária à sua produção", explica Pereira da Silva, médico reumatologista e diretor do Serviço de Reumatologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Seguem-se "as pessoas obesas, pessoas com pele muito escura ou que nunca dispensam o uso de protetor solar".

"A vitamina D funciona como uma hormona que ajuda a normalizar os níveis de cálcio no organismo e nos ossos. É muito importante para a absorção de cálcio, mas também para funções musculares e mesmo do sistema imunitário", refere Helena Canhão, médica reumatologista e vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Reumatologia.

Como seria de esperar, pede-se bom senso para garantir o equilíbrio do corpo. "Os miúdos, hoje em dia, andam sempre cheios de protetor solar e é importante que sejam protegidos da exposição solar prolongada, mas também precisam do sol. É muito importante andar ao ar livre", destaca a especialista.

E engana-se quem pensa que um bronzeado intenso significa mais vitamina D. "Quanto mais escura for a pele, mais dificuldade há de interação do sol com a pele e, por consequência, menor é a produção de vitamina D", conclui Helena Canhão.

"Métodos não são precisos" 
Helena Canhão, Vice-presidente Soc. Port. Reumatologia 
Como avalia os métodos para medir a deficiência de vitamina D?
Helena Canhão – Tenho a sensação de que os métodos que temos para medir esta deficiência não são precisos o suficiente. Dependendo dos laboratórios, a pessoa faz uma análise num sítio e tem deficiência e depois faz noutro e não tem.
O que é necessário?
Era necessário que fosse estabelecido um consenso e uma série de recomendações que ajudem a normalizar os resultados.
Qual o papel das análises atualmente?
Creio que não devemos guiar-nos pelas análises para definir os tratamentos. É preciso também ter em atenção que uma deficiência de vitamina D não tratada é muito negativa.

Necessidades satisfeitas com 15 minutos/dia ao sol 
A principal fonte de vitamina D é o próprio organismo, que exige sempre exposição solar para a produção interna. Mas o equilíbrio não se obtém com longas horas ao sol. "Manter as pernas e braços expostos à luz solar durante 15 minutos por dia é suficiente", garante Pereira da Silva, médico reumatologista e diretor do Serviço de Reumatologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.

O protetor solar continua a ser um bom aliado contra os malefícios do sol em exposições prolongadas, como os escaldões, mas o seu uso em excesso impede esta produção natural de vitamina D. "Quem não quer abdicar do protetor solar por uns minutos, tem de se sujeitar a tomar suplementos para garantir que não entra em carência", refere o especialista.

"Também ingerimos vitamina D na alimentação, mas de forma muito limitada e os alimentos não são nunca uma fonte suficiente", alerta Pereira da Silva. A vitamina D desempenha também um papel importante na normalização dos níveis de cálcio no organismo e nos ossos.
Pereira da Silva Helena Canhão Sociedade Portuguesa de Reumatologia saúde Vitamina D
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)