Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia

Apple deixa de guardar gravações da Siri

Empresa mantinha os dados dos pedidos feitos pelos utilizadores à assistente pessoal.
Correio da Manhã 28 de Agosto de 2019 às 18:01
O Siri faz parte do iOS desde 2011
O Siri faz parte do iOS desde 2011 FOTO: Bloomberg/Getty Images
A Apple anunciou esta quarta-feira que vai deixar de guardar as gravações de áudio, obtidas através da Siri, em que os seus ultilizadores fazem pedidos à assistente pessoal. De acordo com a empresa, os áudios captados passarão a ser revistos pelos seus funcionários em vez de trabalhadores de empresas terciárias.

Estas mudanças acontecem após a empresa ter feito uma pausa no programa Siri uma vez que as empresas contratadas que tinham acesso a estes dados ouviam informação confidencial, conversas de tráfico de droga e casais na sua intimidade. A notícia foi avançada pelo jornal The Guardian.

O aumento do escrutínio público e político no que toca à privacidade dos dados forçou uma maior transparência das empresas.

A Apple promoveu novas práticas de privacidade num esforço para se distanciar dos seus rivais após os escândalos de uso indevido de dados.

A Apple recorreu ainda a humanos para melhorar o serviço, um processo que os investigadores da empresa revelaram anteriormente à agência Reuters que pode vir a reduzir pela metade as taxas de erros de reconhecimento de fala.

A Apple diz que o número de gravações de áudio analisadas é reduzido - menos de 0,2% do total de pedidos - mas a única forma dos usuários manterem os seus dados provados é desativar a Siri por completo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)