Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
2

"Beba café. Ajude Refugiados" é proposta de 'startup' na Web Summit. Saiba como

Gesto de beber um café é rotineiro para muitas pessoas, mas para a HireChance é um caminho para investir na educação e promoção de para refugiados.
Lusa 5 de Novembro de 2019 às 20:39
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
Web Summit 2019
O gesto de beber um café é rotineiro para muitas pessoas, mas para a HireChance, uma 'startup' presente na cimeira tecnológica Web Summit, é um caminho para investir na educação e na promoção das oportunidades laborais dos refugiados.

Elham Mohsen e Jenny Lafaurie percorrem um dos pavilhões da Web Summit, que decorre esta semana em Lisboa, vestidas com uma 'sweatshirt' que exibe nas costas uma frase que desperta o olhar dos mais atentos: "Drink Coffee. Help Refugees" ("Beba café. Ajude Refugiados", na tradução em português).

Natural do Iémen, Elham Mohsen explica o apelo e o propósito da HireChance, que tem sede em Seul, Coreia do Sul.

"A HireChance nasceu com a missão de promover oportunidades de trabalho e de educação dos refugiados em todo o mundo", diz Elham Mohsen, explicando que tudo começa com a venda de café, de origem única, sustentável e eticamente cultivado em regiões de origem de refugiados, como por exemplo da Colômbia.

Através do comércio direto desse café (venda entre empresas ou venda para o consumo direto), a HireChance compromete-se a investir 25% das vendas para patrocinar o acesso dos refugiados a uma educação 'online', através de uma rede de parceiros, e assim potenciar as carreiras profissionais destas pessoas, segundo explicou a representante, no fim de um painel temático num dos palcos da cimeira tecnológica.

Questionada como surgiu a ideia da HireChance, Elham Mohsen refere que foi a chegada à Coreia do Sul de refugiados do Iémen, país envolvido num conflito desde 2014 e cenário de uma das maiores crises humanitárias no mundo segundo a ONU, que potenciou há cerca de um ano este projeto.

Apesar das suas competências e qualificações, muitos refugiados não conseguem entrar no mercado de trabalho sul-coreano e construir carreiras profissionais, em parte devido à aprendizagem da língua, e esse é um dos obstáculos que a HireChance quer ultrapassar.

Na Web Summit, as duas representantes, a par de folhetos, distribuíam aos interessados um pequeno pacote com café oriundo da Colômbia, que exibia na parte da frente, em letras maiúsculas, uma palavra: "Esperança".

Em 2018, o número de pessoas forçadas a fugir das respetivas casas em todo o mundo, devido a conflitos civis, violência, alterações climáticas ou questões relacionadas com a respetiva sexualidade, ultrapassou os 70 milhões, o que aconteceu pela primeira vez desde que existem registos relacionados com este fenómeno.

Deste número global, 25,9 milhões são refugiados e 3,5 milhões são requerentes de asilo, segundo os dados mais recentes das Nações Unidas.

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo Web Summit, considerada um dos maiores eventos do setor, nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Lisboa, permanecendo na capital portuguesa até 2028.

A edição deste ano realiza-se até quinta-feira no Altice Arena e na Feira Internacional de Lisboa (FIL), em Lisboa.

Segundo a organização, nesta quarta edição do evento em Portugal, participam mais de 70 mil pessoas de 163 países.

Até quinta-feira, e de acordo com dados da organização, mais de 1.200 oradores irão passar pelos 22 palcos distribuídos pelo recinto.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)