Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
3

Consultor legal de Assange diz que Rui Pinto está a ser "privado de direitos básicos"

Juan Branco falou numa conferência de imprensa com jornalistas na Web Summit.
Lusa 7 de Novembro de 2019 às 16:49
O fundador do 'site' WikiLeaks Julian Assange
Julian Assange
O fundador do 'site' WikiLeaks Julian Assange
Julian Assange
O fundador do 'site' WikiLeaks Julian Assange
Julian Assange
O consultor legal do WikiLeaks Julian Assange, Juan Branco, afirmou esta quinta-feira que Rui Pinto, que denunciou alegados casos de corrupção e evasão fiscal no futebol, está a ser "privado de direitos básicos".

Juan Branco falava numa conferência de imprensa com jornalistas na Web Summit, cimeira tecnológica que termina esta quinta-feira em Lisboa.

"Esta pessoa não está apenas privada da sua liberdade (...), mas também privada dos seus direitos básicos, incluindo o direito à privacidade", acrescentou o responsável, na abertura da conferência de imprensa.

Questionado sobre o que diria às autoridades sobre Rui Pinto, Juan Branco foi perentório: "Simples, libertem-no".

Segundo a consultora legal de Julian Assange, "estas pessoas não cometeram qualquer crime ou violência, não feriram a dignidade de ninguém e estão presos".

E acrescentou: "Apenas expuseram a verdade".

Por isso, "não vejo qualquer razão para que devam estar nesta situação", acrescentando que em ambos os casos - Rui Pinto e Julian Assange - há "forças poderosas" como os "agentes do futebol" e o governo dos Estados Unidos, respetivamente.

Juan Branco lançou ainda um apelo aos jornalistas presentes na sala.

"Acho que os jornalistas deveriam ser solidários com alguém [Assange] que correu vários riscos para expor a verdade", isto porque a acusação e os seus termos "podem facilmente ser alargados" aos profissionais de media que trabalharam com ele.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)