Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
9

Estudante português ganha prémio nos EUA

O português Nuno Bandeira, estudante num curso de doutoramento no pólo de San Diego da Universidade da Califórnia, EUA, ganhou o Prémio Jovem Investigador 2006, atribuído pela Organização do Proteoma Humano (HUPO) em reconhecimento pela sua técnica inovadora de análise de proteínas.
28 de Novembro de 2006 às 00:00
O jovem engenheiro informático, de 32 anos, tem-se dedicado à análise computacional de dados biológicos (bioinformática). A análise de electroencefalogramas, tema da tese de mestrado, feita em colaboração com a Marinha, para estudar a área do cérebro que ajuda na precisão do tiro, abriu-lhe as portas de universidades estrangeiras. Escolheu San Diego para trabalhar com Pavel Pevzner, um russo que se dedica à bioinfomártica desde a década de 80 e que é agora o seu orientador de doutoramento.
“Este pólo é muito forte na bioinformática por causa dele. É uma autêntica ‘Meca’ da investigação”, disse Nuno Bandeira ao CM. No quinto ano de um doutoramento que espera concluir em Julho de 2007, Nuno concorreu ao prémio da HUPO por indicação do seu orientador. Entre dezenas de candidatos, ficou entre os cinco finalistas (juntamente com um suíço, um belga e dois norte-americanos) que, a 30 de Outubro, apresentaram os respectivos projectos, em Long Beach. Nuno Bandeira venceu. “Fiquei surpreendido. Eu era o único estudante. Os outros finalistas eram todos professores.”
Nuno Bandeira “gostaria de continuar ligado a Portugal”, onde esteve há seis meses para uma palestra, mas, apesar de reconhecer “investimentos fortes na investigação”, o campo da ciência em que trabalha está muito além da realidade laboratorial portuguesa.
PERFIL
Nuno Filipe Cabrita Bandeira nasceu em Faro, a 1 de Abril de 1974. Fez o liceu na capital algarvia e lincenciou-se em Engenharia Informática pela Universidade Nova de Lisboa, no pólo da Costa de
Caparica. Fez mestrado na área da Bioinformática, com a tese ‘Análise de Electroencefalogramas’ (18 valores). Emigrou há quatro anos para a Califórnia, para fazer o doutoramento, relacionado com o processamento computacional de dados de espectrometria de massa, que vai apresentar no Verão de 2007. É autor de uma técnica revolucionária na análise de proteínas.
O PASSO SEGUINTE AO GENOMA
O conhecimento do proteoma (conjunto total das proteínas e suas funções) é o passo seguinte ao sequenciamento do genoma humano, concluído há cinco anos.
A técnica desenvolvida por Nuno Bandeira dá um passo importante no conhecimento das proteínas ao permitir uma interpretação directa da informação da análise por espectrómetro de massa, sem ter de recorrer ao cruzamento com base de dados.
Facilita a detecção de proteínas novas geradas por rearranjos genéticos (ligados a processos cancerígenos), permitindo intervenções medicamentosas mais direccionadas. Identifica também modificações na estrutura das proteínas, fenómeno ao qual se atribui importância fundadora no conhecimento da biologia humana.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)