Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
7

Google condenada a apagar dados de japonês

A empresa defende um "equilíbrio entre o direito à privacidade e o direito do público à circulação de informação".
10 de Outubro de 2014 às 17:39
Página de pesquisa da Google refletida em óculos de sol
Página de pesquisa da Google refletida em óculos de sol FOTO: Francois Lenoir/REUTERS

O tribunal distrital de Tóquio condenou esta sexta-feira a empresa tecnológica Google a apagar resultados de pesquisas que liguem o nome de um queixoso a um crime que não tinha cometido.

O tribunal decretou que a Google apague as cerca de 237 entradas que aparecem depois de o nome do queixoso ser inserido no seu motor de busca, noticia a imprensa japonesa. O homem, que apresentou queixa contra a Google em junho, argumentou que os resultados de pesquisa sugerem que ele esteve envolvido num crime e que isso constituiu uma ameaça à sua forma de vida e compromete a sua privacidade, refere o jornal Asahi Shimbun.


A decisão do tribunal de Tóquio surge na sequência da deliberação do Tribunal de Justiça da União Europeia em 13 de maio sobre o "direito ao esquecimento", em que tribunais podem ordenar aos motores de busca que eliminem ligações cujo conteúdo prejudique pessoas citadas. Segundo o sítio da Google, a empresa tecnológica esclarece que a aplicação do "direito ao esquecimento" é um processo complicado pois implica a avaliação de cada pedido para tentar equilibrar o direito à privacidade e o direito do público à circulação de informação.


A Google disponibiliza online um formulário onde os utilizadores podem requerer que os seus dados sejam apagados. No primeiro dia em que a empresa disponibilizou o formulário, em 30 de maio, recebeu 12 mil pedidos de remoção de informação.

Tóquio Google tribunal japão condena
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)