Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
5

Levitação na fusão nuclear

A fusão é o Santo Graal da energia: virtualmente infinita, completamente limpa e barata, usando apenas água e outros elementos comummente disponíveis como combustível. Mas o desafio técnico de fazer a energia de fusão tornar-se realidade é, no entanto, enorme, e tentativas de encontrar uma solução viável têm vindo a frustrar os cientistas há mais de 50 anos.
27 de Fevereiro de 2010 às 00:30
A máquina Z tem-se revelado capaz de temperaturas extremamente altas
A máquina Z tem-se revelado capaz de temperaturas extremamente altas FOTO: direitos reservados

Mas agora, uma equipa do MIT e da Universidade de Columbia provou com êxito um reactor que poderá abrir um novo caminho para domar a fusão nuclear. Esses esperançosos resultados vêm de um dispositivo experimental de levitação chamado LDX (Levitated Dipole eXperiment). O LDX usa um íman de meia tonelada com o tamanho aproximado de um pneu de camião, feito de fios supercondutores enrolados dentro de um recipiente de aço inoxidável.

Este íman fica a levitar, suspenso por um poderoso campo electromagnético. A sua função é controlar o movimento de um plasma – gás de partículas electricamente carregadas aquecido a dez milhões de graus Celsius.

O resultado da experiência confirma as previsões de que, no interior da câmara, a turbulência aleatória faz com que o plasma se torne mais concentrado – um passo crucial para fazer os átomos fundirem-se – em vez de se espalharem, como acontece geralmente com a turbulência. Esse comportamento já havia sido observado na forma como o plasma no espaço interage com os campos magnéticos da Terra e de Júpiter, mas nunca havia sido recriado em laboratório.

ESPERANÇA NO PROJECTO

Para Michael Mauel, do Departamento de Física Aplicada da Universidade de Columbia, e Jay Kesner, da Ciência de Plasma e Centro de Fusão do MIT, que dirigem o projecto LDX, ouvidos pelo Correio da Manhã, "este é um resultado animador". Segundo explicam, "este tipo de plasma de mistura pode permitir a geração da fusão nuclear sem necessidade de criar trítio radioactivo". E lembram que é necessário ainda muita pesquisa antes que se possa saber se os campos magnéticos dipolares podem ser utilizados para a produção de energia de fusão".

SAIBA MAIS

ENERGIA

A fusão é o processo de produção de energia no Sol – é a energia da fusão que torna possível toda a vida na Terra.

50

Há 50 anos que a Europa é líder na investigação da fusão. Neste momento está a construir um reactor.

COMBUSTÍVEIS

Os combustíveis básicos da fusão são o deutério e lítio. São abundantes, encontrando-se em qualquer parte da Terra.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)